quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

PARE, OBSERVE E ESCUTE

PARE, OBSERVE E ESCUTE
(Por Eduardo Santos)

"Então disse o Senhor a Moisés: Por que clamas a mim? Dize aos filhos de Israel que marchem." (Êxodo 14:15)

Recentemente, muito se tem ouvido sobre a história do êxodo hebreu. Nada muito estranho - afinal, existe um programa de grande audiência que trata do tema.

Há de se concordar que tal história é repleta de fatos fantásticos, curiosos, intrigantes, surpreendentes. Mas, inquestionavelmente, me parece que a abertura do Mar Vermelho mexe bem mais com o grande público do que qualquer outro grande feito relatado nos capítulos desse livro (Êxodo). Embora nunca tenha visto o programa da tv, não tinha ouvido tantos comentários, nem antes nem depois, da tão esperada cena!

Sem dúvida nenhuma, deve ter sido um momento de muita tensão, seguido por um enorme alívio para os que presenciaram a cena real. Ver-se numa situação sem nenhuma perspectiva de solução, com 100% de chance de morte, sentindo uma profunda angústia e, no fim, viver um tremendo milagre.

Repensando no desenrolar do capítulo, me deparei com o desespero de Moisés. Não era pra menos! Humanamente falando, ele havia conduzido o povo para um beco sem saída, onde, a sua frente estava o mar e, atrás, o furioso exército egípcio. Em sua angústia, Moisés clama a Deus que aja e, como resposta, ouve o verso apresentado no início deste texto.

Invariavelmente, todos já passamos, estamos passando e vamos passar por momentos no quais vamos nos sentir encurralados, nos quais as angústias da vida nos sufocarão, o medo nos paralisará ou não saberemos o que fazer. Nessas horas, o melhor que se tem a fazer é clamar por socorro a quem pode operar o milagre oportuno! E assim, esperamos que o mar se abra à nossa frente, ou imaginamos que, ao tocarmos os pés nas águas, o mar se abrirá.

É reconfortante pensar na ideia de que será aberto um caminho entre nossos problemas e dificuldades para que passemos por meio do "mar seco". Mas isso nem sempre vai acontecer - o que não significa que fomos abandonados ou estamos desprovidos da ajuda divina. Deus é um Deus pessoal, que trata cada individualidade de forma diferente. Ele sabe a forma com a qual produzirá melhor aproveitamento do aperfeiçoamento da nossa fé e da condução pelo caminho que nos traz felicidade.

Repare que antes de Moisés decidir o que fazer, ele buscou ouvir a resposta de Deus. Ele talvez pudesse achar que sua única opção fosse marchar contra o exército egípcio, lutar até o último homem, e o resultado seria desastroso. É imprescindível notar que o milagre da abertura do mar para Moisés foi algo inusitado. Então, ele não poderia esperar algo parecido.

Hoje, peça que Deus o ajude a resolver suas questões pessoais, seus dilemas, suas dúvidas, suas dores. Mas nunca se esqueça de parar e buscar ouvir Sua resposta que apresenta o livramento; afinal, ela pode ser diferente do milagre realizado para Moisés e mais parecida com o convite feito a Pedro: "E ele disse: Vem. E Pedro, descendo do barco, andou sobre as águas para ir ter com Jesus." (Mateus 14:29).

Tenha um ótimo dia!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe também, comentando!