segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

A DIFERENÇA DA GRAÇA


A DIFERENÇA DA GRAÇA
(Por Sérgio Mafra)

Estamos chegando perto do Natal, data empolgante para uns, puro comércio para outros, mas, a despeito desse ponto de conflito, gostaria de comentar um pouquinho sobre a essência do Natal e qual foi a significativa transformação que esse evento trouxe para a História humana.

Existe grande diferença entre a visão de que Deus nos aceita pelo nosso esforço e por aquilo que fazemos, baseados no “obedeço; logo, sou aceito”, e a visão do Evangelho de que Ele nos aceita por aquilo que Jesus fez, baseada no “sou aceito por Deus por meio do que Cristo fez; logo, obedeço”.

Duas pessoas que levam a vida tendo na mente, cada uma, um desses princípios podem sentar lado a lado e ser, a olhos superficiais, parecidas. No entanto, suas motivações, extremamente diferentes, resultam em duas vidas muito distintas. É exatamente nisto que eu gostaria de refletir: em nossa motivação de vida como cristãos ou “religiosos”.

Na religião tradicional, acabamos por obedecer aos padrões de Deus por medo. Medo de perder as bênçãos dEle neste mundo e no próximo. No Evangelho de Cristo, a motivação é completamente diferente: é a gratidão pela bênção já recebida por conta do que Jesus já fez. Enquanto no primeiro caso o indivíduo é obrigado a obedecer motivado pelo medo da rejeição, no segundo se apressa em obedecer motivado pelo desejo de agradar e de se parecer com Jesus, que deu a vida por nós.

Que você possa refletir nisso, por ora; e quando voltarmos, mais à frente, a falar nesse assunto, vou apresentar as consequências dessas duas maneiras de encarar Jesus, para nossa concepção de identidade e autoestima.

Que você tenha uma boa semana, certo do que Jesus já fez por você!

Um comentário:

  1. A motivação faz toda a diferença...
    Boa semana para todos nós.

    ResponderExcluir

Participe também, comentando!