quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

FOGO



FOGO
João Octávio Barbosa – Bangu – RJ

A palavra do dia é FOGO.
O fogo é a rápida oxidação de um material combustível liberando calor, luz e produtos de reação, tais como o dióxido de carbono e a água.
O fogo é necessário para seja feita a maioria das refeições. O domínio do fogo foi essencial para as primeiras sociedades conseguirem se desenvolver.
O fogo é elemento essencial para a fabricação de muitos produtos. Os metais, as pedras preciosas, dentre outros. O fogo é elemento primário da vida. Se não fosse aquela gigante bola de fogo lá no Céu que a gente chama de Sol, nós não estaríamos aqui.
Chamamos fogo também um sentimento que surge dentro de nós que nos motiva a fazer algo. Quando estamos com certa vontade, isso é um “fogo” que queima nosso interior para que alcancemos mais.
O fogo também representa um grau de violência. O poder de fogo de uma nação é o quanto ela tem em armamento para uma guerra. O poder de fogo de uma pessoa pode ser a capacidade dela de impor sua vontade ao mundo pela força.
Curiosamente, o fogo também pode ser outra coisa. O fogo é Deus. Não UM deus. O Deus. O meu Deus. Possivelmente, aquele que você também conhece como Deus, mesmo que não o considere assim. O Deus da Bíblia. E nesse livro, a Bíblia, que Deus chama de “sua palavra”, vemos o seguinte sobre a nossa palavra do dia de hoje, fogo:

“Porque o Senhor teu Deus é um fogo que consome.”

Quando falamos do poder de Deus, ele se chama de fogo. Muita gente pode confundir isso com o significado de “Inferno”. Não, não é isso. O ouro é feito com fogo. Mas não se usa o fogo para destruir o ouro, e sim para refiná-lo, purificá-lo. Para que ele exista na sua melhor forma. Deus é fogo porque assim ele melhora o que é bom. Deus, porém, também é fogo para destruir, mas apenas o mal.

Deus é muitas coisas, dentre elas Ele é fogo. Se você acredita que precisa de fogo na sua vida hoje, destruindo todo o mal e aperfeiçoando o bem, ponha Deus na sua vida hoje!

Hoje é dia de fogo!


terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

DIVAGANDO E SEMPRE


DIVAGANDO E SEMPRE
Airton Sousa – Direto de Paciência - Rio

Eu gosto de começar meus textos contando alguma historinha, sempre, mas hoje eu não tenho historinha... Eu ainda estou pensando naquele texto da semana passada, quando comentei sobre o poder de Deus, e hoje estou mais para refletir. É como se eu estivesse conversando comigo mesmo...

A Bíblia conta que em uma ocasião, quando Moises libertou o povo hebreu das mãos de Faraó, o povo cansou de comer o alimento vindo do céu, chamado de “maná”, e começou a reclamar com Moisés. A situação era grave, eles sentiam saudade dos tempos em que eram escravos no Egito. Moisés, desorientado, foi falar com Deus. Ele também não aguentava mais aquilo tudo. E Deus prometeu que daria carne para aquele povo. Moisés duvidou... “Senhor, aqui estou eu no meio de seiscentos mil homens de pé. Será que haveria o suficiente para eles se todos os rebanhos fossem abatidos? E se todos os peixes do mar fossem pescados? Deus respondeu a Moisés: Estará limitado o poder do Senhor? Agora você verá se a minha palavra se cumprirá ou não.” (Números 11:21-23)

Depois disso veio um vento da parte de Deus e trouxe codornizes do mar e as fez cair por todo o acampamento.

Durante todo aquele dia e aquela noite, e durante todo o dia seguinte, o povo saiu e recolheu as codornizes. A história continua e com um final não feliz, mas o que eu queria destacar aqui, é aquele diálogo de Moisés com Deus. Que fantástico, hein!? E olha a intimidade dos dois!

Eu olho para Moisés e vejo a transformação que foi feita em sua vida. Eu olho para mim e percebo algumas semelhanças, principalmente na teimosia… Olha a cara de tonto de Moisés olhando a sarça se queimando. Olha Moisés com o cajado na mão e o mar se abrindo. E agora olha Moisés, duvidando se Deus conseguiria mandar carne para mais de seiscentos mil homens. 
Quer dizer que depois de tudo isso você ainda vai limitar o poder de Deus? Nunca! O poder de Deus nunca deve ser questionado. A Palavra de Deus sempre se cumprirá, eu acreditando ou não.

Eu sei que você é diferente de mim, que você nunca perdeu a confiança, mas cada vez que percebo que vacilei eu aumento a minha fé e peço que Deus me perdoe quando eu duvido dEle.

“Ora, dizei-me: Quem pôde medir a águas na concha da sua mão? Quem conseguiu avaliar a extensão dos céus a palmos, medir o pó da terra com o alqueire, ou calcular o peso da terra, ou ainda pesar as montanhas na balança e as colinas nos seus pratos?” (Isaias 40:12)

E assim finalizo minhas divagações de hoje, com uma certeza: Deus não mudou. Ele continua o mesmo.

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

GERAÇÃO DE "SUPER"


GERAÇÃO DE "SUPER"
Priscila Pahim – Rio de Janeiro/RJ

Existem Certas Coisas, como super-heróis!
Essa geração de “super”, que vivemos... sei não... Existem personagens de todos os tipos e para todos os gostos, com superforça, supervisão, superaudição, super-rápido... É tanto “super” que fico até perdida! Hoje todos estão buscando o #superalgumacoisa, e se não tiver “super” não tem graça. 

Mas existiu um cara chamado Sansão, que viveu muitas aventuras com a sua superforça ao lado de Deus. Ele tinha uma conexão forte com Deus, e isso só foi possível porque primeiramente seus pais se comprometeram a não cortar seus cabelos. Estranho? Pois foi assim: um anjo apareceu e falou com seus pais que o cabelo de Sansão não deveria ser cortado; eles ouviram e se comprometeram a atender a ordem. Um pedido simples que fez a diferença na vida de Sansão.


Tá. E se hoje, bem hoje, aparecesse um anjo na sua frente? Sabe aquele ser coberto de luz, com asas, enorme, pesando algumas toneladas... Qual seria a sua reação? E se ele fizesse um pedido, algo simples, tipo ensinar as crianças a andarem pelo caminho certo? Ensinar sobre respeito ao próximo? Você faria?!

Jesus pode não usar um anjo, hoje, para lhe dar esse recado direto, mas Ele usa outros meios e precisamos aprender a ouvir e aplicar em nossa vida as instruções que recebemos. Toda criança aprende pelo exemplo.
Quer uma criança educada? Seja educado!
Quer que a criança fale baixo? Então não grite!
Quer que a criança não faça pirraça?! Fácil! A resposta está em Colossenses 3:21: “Pais, não irritem os seus filhos, para que eles não fiquem desanimados.”... - aliás, esse é um texto bíblico que quer dizer que as crianças precisam ser incentivadas. Reconheça o seu talento. Um simples rabisco no papel, que para você pode não fazer sentido, para uma criança faz (e talvez ela se torne um Picasso, um dia).
Ensine a criança a fazer escolhas certas e então poderá apoiá-la sem medo, no futuro.

“Eduque a criança no caminho em que deve andar, e até o fim da vida não se desviará dele.”
Provérbios 22:6

Se você precisa mudar algum ponto na educação de seus filhos, precisa começar hoje. Seja um modelo. Talvez você não tenha filhos ainda, mas com certeza existem crianças que fazem parte do seu dia a dia e o exemplo deve ser o mesmo - vai que uma criança tem você como exemplo e você nem sabe?! Vamos preparar os pequenos para serem “SUPER” ao lado do melhor amigo, Jesus!


Que Certas Coisas da vida se tornem coisas certas!
Vejo você na semana que vem.

domingo, 18 de fevereiro de 2018

NÃO SE ATRASE


NÃO SE ATRASE
Pamela Henriques Moreira – Angra dos Reis/RJ

Nas últimas férias, já voltando para casa, eu e meu marido fizemos um voo com conexão. Descemos do primeiro avião e ficamos perambulando pelo aeroporto. Naquele dia nós nos superamos no quesito “trapalhadas”. No primeiro voo nos atrasamos dentro do aeroporto, depois de enfrentar uma fila gigantesca, com direito a nos anunciarem pelo rádio. Durante a escala em outro aeroporto, confundimos a hora do voo com o horário de embarque. Entramos mansinhos na aeronave para não chamar mais atenção – afinal, estávamos entrando na hora que era para estarmos decolando...

Eu me lembro da época de escola, quando havia aquelas cadernetas que eram carimbadas todos os dias (ainda existem?). Na escola em que estudei, o limite era de três atrasos no mês; depois, o aluno era proibido de entrar e tinha que voltar para casa. Quase todo mês eu tinha três atrasos na minha caderneta. Várias vezes tive que correr atrás de ônibus para tentar compensar meu atraso ao sair de casa.


Tem alguns atrasos clássicos. Quem nunca viu matérias a respeito dos atrasados para a prova do Enem? Eu me lembro de presenciar, em dia de prova de concurso público, as pessoas correndo desesperadas, pois restavam pouquíssimos minutos pro portão fechar. O portão fechou depois do previsto e mesmo assim tinha gente que reivindicava a sua reabertura.

Interessante quando pensamos no quanto muitos se preparam com antecedência, mas não ficam prontos para o grande dia!

Já leu a história das dez moças virgens que iam se encontrar com o noivo pra festa de casamento? Um dia Jesus a contou. Veja que interessante:
As dez moças, cada uma com sua lamparina, aguardavam o noivo. Umas eram sem juízo, e outras eram ajuizadas. Cinco delas, chamadas de “prudentes”, tinham óleo de reserva. Mas as outras cinco, as sem juízo, não tinham provisão de óleo. Com a demora do noivo, todas dormiram. Ao chegar o noivo, as prudentes acenderam suas lamparinas; já as outras não puderam, por falta de óleo, e saíram para comprar; mas, ao voltar, o portão já estava trancado e elas perderam a festa de casamento. (Mateus 25:1-12)

Assim acontece conosco; às vezes achamos que estamos prontos, mas nos esquecemos do essencial, que é estar preparado para o Grande Dia.

Ao final dessa parábola, Jesus deixa bem clara a lição: “Portanto, fiquem vigiando porque vocês não sabem qual será o dia e a hora.” Mateus 25:13

Se nos atrasamos e nos enrolamos para ocasiões com data e hora marcadas, imagine para o maior evento deste mundo, que não sabemos quando vai acontecer?


E que Grande Dia é esse? Será a volta de Jesus a esta Terra. Um dia de muita alegria, fim dos nossos sofrimentos e a certeza de ter vida eterna ao lado de nossos queridos. Não sabemos o dia nem a hora, mas a Bíblia nos ensina que devemos buscar a Deus diariamente, conhecer e aplicar as vontades dEle em nossa vida.

Se nos prepararmos desde já, não seremos pegos de surpresa, e teremos motivos para sorrir, pois poderemos ver Jesus face a face e ter a certeza de que viveremos pra sempre com Ele. 

O maior erro das moças sem juízo não foi dormir; foi não terem se preparado, "zero comunhão" com Deus, que na história foi representado pelo óleo.

Muitos sonham com o Céu, mas negligenciam o Único que pode nos levar até lá. 

Quem não quer ir para o Céu?
Vamos juntos?




sábado, 17 de fevereiro de 2018

ENZO E VALENTINA


ENZO E VALENTINA
Jackson Valoni – Angra dos Reis/RJ

Se tudo der certo, serei pai. Um dos grandes dilemas aqui em casa é o nome do futuro filho. Gosto de nomes que identificam a pessoa, de cara, como Whindersson, Kéfera, Neymar, Sasha, Odvan, Romário, Pontinelli, Jackson.

Em quem você pensa quando ouve o nome Mufasa? No pai do Simba, claro, e eu nem preciso dizer de qual Simba estamos nos referindo. É um nome forte.

Há pouco tempo minha cunhada disse que se tiver um filho vai nomeá-lo Pedro. Eu conheço um monte de Pedro. Pedro é o nome do filho da minha madrinha de casamento, é o descobridor do Brasil, é o discípulo de Jesus, é o parceiro do Bino, foi aluno do professor Raimundo, era o imperador do Brasil, é o cara que apresentava o Big Brother, ex-jurado do Silvio Santos e também é um cara do meu trabalho envolvido em sindicato.

Nada contra os Pedros; meu lance é com o nome, mesmo. Paz e amor.

Esse incômodo que eu sentia com Pedro agora está surgindo com Enzo e Valentina. Não conheço nenhum, pessoalmente, mas já existe tanta piada em torno desses nomes que eu já descartei da lista de opções pro meu filho.



Existem nomes únicos e nomes comuns. Conheci uma Ana e um Zander. Mas não importa qual seja o seu nome, não importa se o mundo será dominado pelos Enzos ou se a namorada do seu filho vai se chamar Valentina. Um dia, seu nome vai mudar. Eu explico agora pra você:

Jesus falou uma vez, pra um rapaz chamado João, sobre o Céu. João escreveu tudo num livro chamado “Apocalipse”. Num dos trechos do livro está escrito o seguinte, a respeito das pessoas que vão para o Céu, quando Jesus voltar para buscá-las:

Quem tem ouvidos, compreenda o que o Espírito revela às igrejas: ‘Ao vencedor proporcionarei do maná escondido, bem como lhe darei uma pedra branca, e sobre essa pedra branca estará grafado um novo nome, o qual ninguém conhece, a não ser aquele que o recebe’.” Apocalipse 2:17

Deus muda o nome das pessoas que fazem coisas incríveis. Abrão virou Abraão e é considerado o pai da fé; Jacó virou Israel porque lutou com Deus; Simão virou Pedro porque passou a seguir Jesus; Sarai virou Sara porque mesmo quando era bem velhinha teve um filho, e Jesus nasceu da descendência dela... E há outros. Todos, com histórias extraordinárias.

Meu desejo é que você tenha uma experiência extraordinária com Deus, porque Ele escolheu você pra fazer coisas incríveis ao lado dEle.



sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

ESCUTE ATIVAMENTE


ESCUTE ATIVAMENTE
Denize Vicente – Rio de Janeiro/RJ

A Editora Futura lançou um livro chamado “É certo estar sempre certo?”. Uma fábula. Lá no final do livro tem umas sugestões de como gerenciar conflitos corporativos. E é de lá o título deste post: ESCUTE ATIVAMENTE.

Com certa frequência vemos as pessoas bem interessadas em expor sua opinião, suas ideias, seu modo de enxergar e entender as coisas; não menos frequentemente fazem isso porque estão muito seguras de que estão certas e os outros estão errados. Algumas vezes, essas “pessoas” somos nós mesmos: eu, você...

Dificilmente alguém defende política, religião, moral, ponto de vista... sem achar que está certo. O grande problema de achar que estamos certos é que não escutamos ativamente o outro. Não fazemos esforço para entender o que o outro está dizendo – às vezes, nem para ouvir. Muitas vezes a gente não presta atenção, outras vezes ouve, mas finge que não está ouvindo... Não pergunta, não repete o que acabou de ouvir pra ver se entendeu direito...

Vou contar uma história. Samuquinha era um garoto, talvez na adolescência, e morava nos fundos de um Templo. Uma vez ele estava dormindo e, de repente, ouviu alguém chamando seu nome. Ele se levantou rapidinho achando que era o senhor com quem ele morava e foi até o quarto dele, perguntando: “- Seu Eli, o senhor me chamou?”. Seu Eli estava dormindo e levou um susto quando Samuca entrou no quarto, e disse que não tinha chamado ninguém. O garoto voltou pra cama. Daqui a pouco... outra vez chamaram seu nome e agora ele tinha certeza de que não havia se enganado. Resumindo a história, Samuelzinho ouviu três vezes alguém chamando seu nome, levantou três vezes, foi falar com Seu Eli três vezes, e três vezes Seu Eli falou pra ele voltar pra cama. Mas na última vez eles combinaram uma coisa: se ouvisse de novo, Samuquinha deveria responder assim: “Fala, Deus, que eu tô ouvindo.”. Ah, parece história de doido, né?! Mas sabe que funcionou? Quando Samuelzinho ouviu seu nome de novo, ele respondeu: “Fala, Deus, eu tô ouvindo!”. O mais louco? Deus falou. E era um recado pro Seu Eli. Embora Samuca tivesse seus pais e Eli tivesse seus filhos, Samuel e Eli eram como pai e filho. Os pais de Samuca eram legais e visitavam o menino regularmente; já os filhos de Eli eram daqueles que não ouviam o pai nem ninguém. E se achavam certos em tudo o que faziam, e faziam muita besteira.

O recado não foi muito agradável, sabe? Mas o meu recado pra você, com essa história, é mais leve, embora igualmente sério: ouça mais e reconheça quando é Deus falando com você.


Samuel se tornou Juiz, mais tarde. Dr. Samuel, Sua Excelência. Foi profeta, também. Profeta é uma espécie de “porta-voz de Deus”. E como profeta Samuel começou cedo, você viu. Tudo porque soube ouvir.

Pensando bem, a gente pode chegar longe se souber ouvir. E se ouvir a voz de quem realmente sempre está certo... aí ninguém segura!

________________________________________

Referência/Fonte:




quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

COINCIDÊNCIA OU PROVIDÊNCIA?

COINCIDÊNCIA OU PROVIDÊNCIA?
Filipe Souza - Ericeira, Portugal

A renda de bilros é uma técnica de artesanato produzida a partir do cruzamento de fios sobre um cartão, perfurado de alfinetes, que fica sobre uma almofada. Os fios são manipulados com a ajuda dos bilros, sendo que à medida que o desenho progride os alfinetes são retirados. A renda de bilros pode ser encontrada em diversas localidades piscatórias de Portugal sendo também conhecida por renda de Peniche. No Brasil, a renda ainda é produzida no nordeste do país, bem como no sul, na cidade de Florianópolis.


À primeira vista, quando se observa o trabalho das rendeiras, não parece ser possível observar nenhuma coerência; são tantos bilros que ficam pendurados e parece que o trabalho da rendeira desenvolve-se de modo completamente aleatório, porém, ao final dos trabalhos, produzem-se lindos e detalhados desenhos.

Visitando o castelo de Óbidos em Portugal, conheci uma poeta rendeira. Conversei um pouco com ela e li algumas de suas poesias. Numa delas ela contava como havia se apaixonado e posteriormente casado com o seu esposo; porém, no decorrer da poesia, ela poeticamente descreveu o acidente sofrido pelo seu amado - uma queda que quase não o permitia lembrar quem a sua esposa era. Impactado por aquela poética narrativa, despedi-me e saí.

Diante de situações como essa, em que não conseguimos produzir uma exposição lógica para explicar os porquês dos desencontros que a vida nos apresenta, surge a pergunta: será nossa vida uma série de acontecimentos aleatórios, sem nexo ou propósito? Estamos abandonados a nossa própria sorte ou haveria alguém zelando por nós?

Ao analisarmos a história de José descrita no livro de Gênesis, nos capítulos 37 a 50, vemos uma série de reveses que insistiam em destruir totalmente a confiança de José de que poderia haver alguém cuidando dele. Primeiro ele foi vendido como escravo para uma caravana de ismaelitas por ser o filho preferido do seu pai, sendo novamente vendido como escravo a Potifar, oficial de Faraó, quando a caravana chegou ao Egito. Na casa de Potifar, ele é acusado injustamente pela mulher do oficial de tentar violentá-la - após não ter cedido às suas sucessivas tentativas de sedução. Em decorrência dessa falsa acusação, José foi enviado para a prisão.

Apesar de tantos infortúnios, José não perdeu a sua fé. A despeito de se encontrar preso como escravo em uma terra distante, ele conservou seus princípios.

No momento mais difícil de sua vida, porém, as circunstâncias começaram a mudar. O Faraó teve um sonho que ninguém era capaz de decifrar e José foi chamado a interpretar esse sonho. José revela o significado do sonho de Faraó afirmando que o Egito passaria por sete anos de abundância, seguidos por sete anos de escassez e que Deus havia dado aquele sonho ao rei a fim de que ele pudesse designar a alguém a responsabilidade do armazenamento dos grãos a fim de que o reino egípcio pudesse subsistir à fome.

Ao final dessa explicação, Faraó nomeia José governador de todo o Egito. E quando chegam os sete anos de fome, os irmãos de José se dirigem até o Egito em busca de comida e se encontram com José, que lhes oferece abrigo e comida.

Devolvendo bondade em resposta a todo o mal que seus irmãos lhe fizeram, salvou assim o Egito bem como toda a sua família.

Assim como na renda de bilros, a história da vida de José foi magistralmente tecida pelo grande artista, em que cada provação tornou o desenho ainda mais belo. Apesar de não ter sido do desejo de Deus que José fosse vendido como escravo, Ele usou essa circunstância para abençoar a vida de José e a de seus irmãos.

Como dizia Fernando Sabino: “no fim tudo dá certo, e se não deu certo é porque ainda não chegou o fim.1

Assim como na história de José, Deus deseja dar um fim brilhante à história de nossa vida.  Ele garante: “Porque eu bem sei os pensamentos que tenho a vosso respeito, diz o Senhor; pensamentos de paz, e não de mal, para vos dar o fim que esperais.” (Jeremias 29:11). Assim, “Entregue o teu caminho ao Senhor; confie nele, e Ele tudo fará.” (Salmos 37:5).

__________________________________

Referência/Fonte:

1. Citado em "A Volta por Cima" e extraído de "Fernando Sabino - Obra Reunida, Vol. III", Editora Nova Aguilar - Rio de Janeiro, 1996, pág.611 – disponível em http://www.releituras.com/fsabino_meupai.asp - acessado em 13.02.2018.

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

PODER



PODER
João Octávio Barbosa – Bangu – RJ

A palavra do dia é PODER.
O poder é o direito de deliberar, agir ou mandar.
O poder também é exercer a autoridade, a soberania, o domínio sobre outro.
Se o poder está em suas mãos, você tem uma grande responsabilidade. Dizem também que se você quer conhecer alguém, você deve dar a essa pessoa poder.
O poder mexe com as pessoas. Todos nós gostaríamos de ter mais poder. Poder para controlar o uso do nosso tempo. Poder de adquirir mais dinheiro e usar esse dinheiro para ter mais poder sobre nossa vida. Poder para dominar o sentimento das pessoas e alcançar nossos objetivos.
O poder verdadeiro é a consciência do poder. Não é o que é demonstrado, mas sim o que não precisa ser visto. O poder é uma sensação, mas também é mais do que isso.
No fim das contas, o poder é Deus. Não UM deus. O Deus. O meu Deus. Possivelmente, aquele que você também conhece como Deus, mesmo que não o considere assim. O Deus da Bíblia. E nesse livro, a Bíblia, que Deus chama de “sua palavra”, vemos o seguinte sobre a nossa palavra do dia de hoje, poder:

“Porque o reino de Deus não consiste em palavras, mas em poder.”

O reino de Deus, a área de atuação divina, é poder. Deus é poder, tem todo o poder, é chamado de Todo Poderoso. Deus é muitas coisas, entre elas ele é poder. Se você acredita que precisa de poder na sua vida hoje, ponha Deus na sua vida hoje!

Hoje é dia de poder!