quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

STAR WARS








STAR WARS
João Octávio Barbosa – Bento Ribeiro City – RJ

Antes de ler este texto, nas belas construções gramaticais do Mestre Yoda, entender você deve: um blog de filmes não somos; mas fazemos uso deles para chegar a uma conclusão posterior. E trabalhamos com utilidades públicas também. Então, aqui estou hoje para preparar o terreno dos iniciantes da saga Star Wars, distrair a ansiedade dos fãs até o próximo filme, e, principalmente, trazer uma pitada de algo mais às lições de moral da saga.


Linha do tempo nunca foi algo que a produção se preocupou em manter cronologicamente. Depois do grande sucesso nos anos 70 com três filmes, no fim dos 90 foram lançados mais três, mas contando histórias que aconteceram antes das primeiras. Agora no século XXI estamos no meio de mais uma trilogia que se passa, porém, após os eventos mostrados na década de 70.

Mocinhos vitais: Luke Skywalker (um garoto comum do planeta Tatooine que se torna um dos maiores Jedis que a Galáxia já viu), Obi-Wan Kenobi (Jedi que ensina a Luke tudo o que ele sabe), Princesa Leia (uma das maiores líderes da Aliança Rebelde e irmã gêmea do Luke), Han Solo (trambiqueiro e convencido, é o piloto da Millennium Falcon e ajuda o Luke e a Princesa Leia a salvar a Galáxia), Chewbacca (é o copiloto, de uma fonética louvável), Yoda (monstrinho verde e um poderosíssimo e sábio Jedi), C-3PO (um robô dourado, alto e reclamão), e R2-D2 – um robozinho azul e branco, muito fofo).


Vilões vitais: Darth Vader ou Anakin Skywalker (o vilão antes era do bem, mas foi seduzido para o lado negro da Força e se torna um Lord do Império. É pai do Luke e Princesa Leia), Imperador ou Darth Sidious ou Palpatine (um cara de vida dupla que alterna entre um senador de Naboo na República da Galáxia e um Lord Sith), e Jabba (uma lesma enorme, gângster do mal e sem escrúpulos).


É uma “war”; então, é sobre poder. É nas “stars”; logo, envolve todo o Universo. A “Força” é aquilo que comanda. Quem tem a força? Esse é o conflito, o grande conflito entre o lado do bem e o do mal.

Mas seria esse um Universo fake criado pela originalidade de George Lucas, ou ele captou uma velha e batida história mundialmente difundida entre todas as crenças, credos, religiões e fé por todo o mundo - a de que há uma guerra do bem contra o mal?

E houve batalha no céu; Miguel e os seus anjos batalhavam contra o dragão, e batalhavam o dragão e os seus anjos...

SPOILER FINAL. Muitos de vocês descobrirão em breve o que Luke esteve fazendo por todos esses anos, verão seu reencontro com sua irmã Leia, saberão como Rey vai se tornar uma Jedi, e quem são os pais dela, entre outras coisas. Não temos informações aqui para desvendar esses mistérios, mas podemos falar de outro conflito espacial. Algo que afeta sua vida fora das telas de cinema.

De alguma forma tão misteriosa como nos filmes, o mal surgiu no Universo e foi parar aqui no planeta Terra quando os seres humanos depositaram sua Força, que era a obediência, no Mal ao invés de depositá-la no Bem. E cá estamos nós num mundo de morte, sofrimento, angústia, fome, pobreza, violência, doença...

Pode não parecer agora, pelo que a gente é capaz de ver, mas grandes batalhas foram disputadas. A morte e ressurreição de Jesus foram as principais, e nelas o Bem se saiu o grande vencedor. O grande inimigo, representante de todo o Mal, está vencido e sem forças; basta esperar a volta de um Grande General, que em breve voltará para sacramentar a vitória, Jesus.

De que lado você vai estar? Que a Força esteja com você.

O Senhor é a minha força e o meu cântico; e se fez a minha salvação.


Não peço que concordem, espero que reflitam!

_____________________________________

Referências:

<https://theshoppers.com/star-wars-para-iniciantes-conheca/>, acessado em 12/12/2017
<https://www.aficionados.com.br/star-wars-the-last-jedi/>, acessado em 12/12/2017

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

AH, O NATAL!

AH, O NATAL! 
Airton Sousa - Direto de Paciência/RJ

Ontem o pessoal da coleta de lixo estava eufórico, entregando em todas as casas um cartãozinho desejando Feliz Natal. Tinha até a foto dos garis. E informaram que vão passar dia 20 para recolher a caixinha de Natal.

Também foi ontem que recebi a ligação da moça da Casa de Amparo às Crianças fazendo o pedido para minha contribuição anual de Natal.

Não tenho saído de casa, mas posso imaginar os shoppings com suas alegorias e decorações imensas, cada um tentando ser melhor do que o outro. Daqui a pouco vamos ouvir falar da árvore de Natal da Lagoa no Rio, ou do Ibirapuera em São Paulo.

Na minha igreja estamos realizando o mutirão de Natal, com arrecadação de alimentos para as cestas que serão doadas as comunidades pobres.

O coral já está ensaiando a cantata de Natal.

Meu filho já ligou perguntando onde vou passar o Natal.

E as coincidências não param por aí... Eu comi hoje pela manhã meu primeiro pedaço de panetone.

Diante de tantas evidências, não me restam mais dúvidas: com toda sua alegria e suas canções maravilhosas, o Natal chegou.

Ah o Natal!

A gloriosa celebração de Natal. A simples menção dessa palavra gera todo tipo de encanto. É como um perfume agradável de um jardim de rosas, é como o frescor de um dia amanhecendo em algum lugar nos campos, ou de uma brisa batendo levemente em nosso rosto.

Mas há algo mais. Há um Cristo que nasce no Natal e por muitos não O conhecerem, morre no dia seguinte.


Conhecer Jesus é Tudo, sabe por quê? Porque ao conhecê-Lo como na realidade Ele é, ao conhecer o que Ele fez por nós na Cruz do Calvário, ao saber o quanto Ele nos amou e nos ama apesar de nossas atitudes ou de nossa rebeldia, não teremos outro caminho senão apaixonar-nos por Ele, amá-Lo com todas as forças de nosso ser. E porque O amamos, desejaremos ser como Ele é, viver como Ele quer. Vamos querer ver sempre um sorriso de felicidade em Seu rosto e consequentemente, deixaremos de fazer tudo aquilo que O deixa triste e faremos tudo aquilo que O deixa feliz.” (*).

Quando lemos João 3:16, "Porque Deus tanto amou o mundo  que enviou Seu filho, para que todo que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna", entendemos como é vasto o amor de Deus. Ele amou o mundo inteiro. Você faz parte do mundo inteiro? Então você está incluído nisso.

O amor explica por que Ele veio.
Veio para ser seu Salvador.
Isso é Natal.
E se a gente não se vir... Feliz Natal!

______________________________________

Referência:

(*) http://www.jesusvoltara.com.br/sermoes/bullon20_conhecer_jesus.htm


segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

PERDÃO


PERDÃO
Eduardo Dudu Santos - Rio de Janeiro/RJ

"E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores". (Mateus 6:12)

Concedi-me o imenso prazer de meditar nesse curto trecho vendo o pôr do sol, sentado numa arquibancada no Parque Madureira, em frente à Praça do Samba. Gastei bastante tempo pensando e observando alguns skatistas praticando um pouco, mas, inquestionavelmente, empreguei a maior parte do tempo observando o sol no poente.


Apesar de muito clichê, mais uma vez tenho que concordar com a frase: “cada momento é único e impossível de ser reproduzido novamente”. Foi um fim de tarde agradabilíssimo!

Mas teve algo no pôr do sol que me prendeu a atenção. Além de ser um evento que acontece todos os dias sem nunca se repetir, me fez lembrar de um conselho de Cristo: "(...) não se ponha o sol sobre a vossa ira." (Efésios 4:26).


Era noite de terça-feira. O sol levou consigo todos os eventos do dia, tudo que ele representou para mim. O que aconteceu ficou no passado e já não pode ser mudado. Dessa mesma forma, de acordo com Jesus, devem nossas ofensas ficar no passado. Afinal, Deus deseja que sejamos como Ele e as Suas misericórdias se renovam no início de cada dia. (Lamentações 3:22).


Deus não nos pede que perdoemos da mesma forma que Ele nos perdoa, mas que cultivemos um espírito perdoador para com nosso semelhante. Lembrando que, ao orarmos esta oração do Pai Nosso, pedimos que Deus esqueça quando O ofendemos da mesma forma com que temos nos esquecido das ofensas contra nós praticadas -  não igualando a intensidade do perdão; mas a propensão ao ato.



domingo, 10 de dezembro de 2017

PASSE O TEMPO QUE PASSAR

PASSE O TEMPO QUE PASSAR
Pamela Henriques Moreira - Angra dos Reis - RJ

Na nossa lua de mel, eu e meu marido fomos para a Itália. Visitamos algumas cidades e finalizamos a viagem em Roma. Todas as cidades tinham seu ponto turístico principal; geralmente, era algum centro histórico. Gosto de viajar para lugares onde há ruínas, onde eu possa visualizar um pouco do passado.

Em Roma, o gigantesco Coliseu, uma das sete maravilhas do mundo moderno, chama muita atenção e pude perceber que o título é merecido. Embora tenha sido um lugar para eventos nada amistosos, como as brigas travadas entre os gladiadores, é intrigante estar em uma construção antiga - datada de 68 a 79 d.C. - que embora esteja em ruínas por acidentes naturais e ações do tempo, continua até bem preservada.

Moro no Rio de Janeiro. Uma das suas principais atrações turísticas também é uma das sete maravilhas do mundo moderno. Mais novo do que o Coliseu, com apenas 84 aninhos - o Cristo Redentor é maravilhoso em muitos sentidos e até rendeu texto aqui no Blog (clique AQUI). Nosso Amigão mostrou total surpresa em estar diante de tal monumento, mas também relatou a indiferença daquelas pessoas que já se acostumaram e não veem mais a beleza do Cristo com seus "braços abertos sobre a Guanabara".

Assim como no Rio de Janeiro, em Roma era possível perceber que, enquanto alguns se admiravam, outros eram indiferentes ao Coliseu. Tinha até mesmo, e isso não podia faltar, aqueles que aproveitavam para comercializar seus “souvenirs”.


Assim como os monumentos, estamos sujeitos às ações do tempo. Às vezes fico admirada de como o ser humano muda no decorrer dos anos, seja fisicamente, psicologicamente e até nos gostos.

Diferente de nós, Aquele que é Todo-Poderoso, nosso Pai, Criador, Eterno, Santo e Salvador não muda.

 “Porque eu, o Senhor, não mudo.” Malaquias 3:6

"Toda boa dádiva e todo dom perfeito vêm do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança, nem sombra de variação." Tiago 1:17

Embora Deus esteja sempre presente, muitos O ignoram ou se aproveitam de Sua imagem para obter lucros. Embora seja imutável, muitos distorcem Suas palavras, tratando-O até mesmo como uma ruína, ultrapassado ou sem valor. Deus é o mesmo do início ao fim (Apocalipse 1:8), Seu amor é imutável (Jeremias 31:3), assim como Suas palavras (Lucas 21:33), aconteça o que acontecer, passe o tempo que passar.

Não visite Deus quando estiver de férias como se fosse um monumento a admirar, nem o procure quando precisar de uma "ajudinha". Seja amigo fiel, esteja diariamente em contato com Aquele que venceu a morte para salvá-lo.


 "Jesus Cristo é o mesmo ontem, e hoje, e eternamente." Hebreus 13:8


sábado, 9 de dezembro de 2017

NEM A MORTE, NEM A VIDA


NEM A MORTE, NEM A VIDA
Jackson Valoni – Angra dos Reis/RJ

Eu gritava de medo. A cada descida íngreme da montanha-russa que minha esposa me fez ir (pela segunda vez) eu berrava apavorado. O nome daquela montanha-russa é Mako, e o marketing em cima dela é que ela é a "mais rápida, mais alta e mais longa montanha russa de Orlando".

O brinquedo simula o ataque de um tubarão (Mako); no caso, o carrinho da montanha-russa é o próprio tubarão e a gente acompanha o trajeto dele... A velocidade chega a 118km/h, e a altura, 61m.

Eu queria registrar alguma coisa das minhas férias aqui, por escrito. Queria registrar que paguei pra ir num brinquedo que achei que fosse morrer. Queria registrar também que estou na dúvida sobre o que é mais loucura: andar na Mako ou ser levado pelo meu pai nos parques de diversão itinerantes do Rio de Janeiro (com brinquedos nivelados com pedaços de madeira, nível zero de segurança).

Meu pai e mamãe iam no Tivoli Park com a gente, quando a gente era criança, mas mamãe ia sozinha pra montanha-russa porque meu pai tem medo. Sou parecido com meu pai. O brinquedo que mais gostei de ir durante minhas férias foi o carrossel. 



Não sabia que minha esposa era tão radical. Não sabia que algum dia iria babar de tanto medo - imagine-se ser suspenso por 102 metros, depois virar o corpo inteiro em direção ao chão, e depois despencar? Eu babei, falei fino, lacrimejei, perdi o prazer pela vida, e por um momento pensei que aquela torre de mais de cem metros fosse dar defeito justamente na minha vez. Mas eu despenquei, e foi ótimo. No momento, pedi pra ir de novo, mas fomos a um barco Viking que gira 360° logo depois.

A sensação do perigo e da morte. Percebi que esse é o grande atrativo dos brinquedos radicais. Adrenalina vicia. Ficar perto do perigo causa uma energia mórbida que nos deixa em êxtase. E, ironicamente, a impressão da morte é o que muitas pessoas buscam para se sentir mais vivas. O problema é que nem toda atração do tipo passa por manutenções mecânicas ou ensaios, periodicamente.

Nem toda adrenalina se encontra em parque de diversão. O pecado e suas consequências atuam nesse ponto. Não há como saber o que é certo ou errado (pecado) se não houver alguma lei. O limiar entre a vida e a morte, essa adrenalina viciante, é a grande guerra que cada pessoa do planeta participa em seu interior.

Cumprindo o que Deus deseja, a vida será garantida. Mas a lei de Deus (Seus mandamentos), por si só, não pode nos levar à vida plena que Jesus está preparando lá no Céu - pra onde levará os justos quando Ele voltar. A lei apenas nos mostra qual é o caminho a ser seguido neste mundo tão perverso e violento. Jesus é o caminho. "Se me amardes, guardareis os meus mandamentos". João 14:15

O ser humano está condenado à morte. É a lei do pecado, é o preço a ser pago. Há uma esperança diante dessa aparente tragédia: Jesus, na cruz, pagou o preço requerido pelo pecado quando se entregou em sacrifício. Romanos 8:3,4

A morte de Jesus só confirma o caráter amável de Deus, e elimina toda forma de condenação e repreensão para aqueles que desejam se entregar a Deus, permitindo que Ele possa controlar sua vida. Romanos 8:1,2

"Porque estou certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir, nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor." Romanos 8:38, 39

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

O AMOR QUE ME TOCOU

O AMOR QUE ME TOCOU
Denize Vicente – Cidade Maravilhosa – Rio de Janeiro

Quem acompanha este blog diariamente já soube na terça-feira que esta semana seria megalegal pra mim. O Amigão disse pra todo mundo que quem manda na coluna dele é ele e por isso ele escreve o que quer. E aí saiu me chamando de amiga especial e contando pra geral que quarta-feira seria dia de "parabéns” aqui em casa... Lendo aquele texto cheio de autoridade, eu ri, é claro, mas também me emocionei com tanto carinho. O Airton é daqueles amigos que começou amigo do meu irmão, e foi chegando mais e virando filho da minha mãe também, e hoje é aquele cara amigo de todo mundo da família. Esse apelido não é à toa...


E já que ele tocou no assunto “aniversário”, eu vou aproveitar a minha coluna de hoje pra falar de gratidão. Gratidão por mais um ano de vida; gratidão pelos amigos; pela segurança que sinto e tenho nas decisões que tomo, nos planos que faço; gratidão por tudo o que tenho; pelo amor da minha família, dos amigos, e pelo amor que Deus tem por mim, e que tocou meu coração.

Eu não sou poeta, então não saberia escrever lindamente sobre a gratidão e o amor que tenho. Então vou usar as palavras do meu maninho querido e a sua música. Nas suas palavras, a minha gratidão Àquele que me ama tanto que é impossível viver sem amá-lO também... 


Obrigada, Deus, por tudo, tudo, tudinho. Tudo o que eu faço e falo, o que eu tenho, e tudo o que eu sou fica muito mais bonito com esse Seu amor, esse amor que eu tenho, esse amor que me tocou. Obrigada, Deus. Que eu me sinta sempre perto de Você.


"Toda a minha segurança
Vem de eu conhecer Você
Tenho tudo o que preciso pra viver
Toda música que eu faço
Minhas canções
Ficam muito mais bonitas
Quando falam do amor que agora eu tenho
Desse amor que me tocou

Toda voz é mais bonita
Quando fala de Você
Tanta gente se liberta pra viver
Mas se vejo alguém chorando
Sem atenção
Abro a voz com esse canto
Que fala do amor que agora eu tenho
Esse amor que me tocou
 
A beleza eu conheci
A pureza desse Seu amor
Nestes versos, nesta canção
Eu me sinto perto de Você

Todo tempo é muito curto
Quando penso em Você
Tanta coisa diferente pra entender
Mas se alguém me chama louco
Não, não faz mal
Nada faz com que eu me cale
Eu só falo do amor que agora eu tenho
Esse amor que me tocou
Esse amor que me tocou!

A beleza eu conheci
A pureza desse Seu amor
Nestes versos, nesta canção
Eu me sinto perto de Você
Perto de Você..."
(evaldo vicente)