quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

O QUE TE ATRAI OS OLHOS?

O QUE TE ATRAI OS OLHOS?
(Por Eduardo Santos)

Hoje foi um dia de lembranças. Revivi na memória alguns momentos que remontam ao meu tempo de ensino médio. Guardo muitas recordações dessa época, de momentos e pessoas muito marcantes. Cada uma por um motivo especial. Lembro-me de manias, conversas, projetos, alguns desentendimentos, risadas e despedidas. Coisas para guardar por um período de uma vida!

Uma das minhas manias no ensino médio era sentar próximo à janela e, coincidentemente, sentava sempre perto da mesma pessoa. Coincidência de início; depois, nos tornamos grandes amigos, amizade que guardo com muito carinho até hoje. Ficar junto à janela era algo estratégico. Sempre tive dificuldade de me manter concentrado por muito tempo e a vida além da janela me ajudava a desligar por um tempo e ter condição de voltar a prestar atenção logo em seguida. Justamente por isso, conversava um pouco, talvez um pouco até demais com essa pessoa amiga.

Existe uma característica do ser humano que colaborava para minha distração e ela se chama “visão periférica”. Ela é muito útil e ótima para perceber movimentos ou qualquer coisa que possa ser considerada uma ameaça fora do foco de nossa visão. Mas, às vezes, ela acaba trabalhando fora da expectativa e desvia nossa atenção. Era mais ou menos isso o que acontecia. Minha grande amiga tinha a mania de bater o calcanhar no chão, desapercebidamente, durante as aulas, e só o movimentar de seu pé era o bastante para me desconcentrar do que era o motivo para eu estar ali: a aula.

Fiquei pensando no propósito de estarmos aqui. Pessoalmente falando, não tenho como dizer que conheço o motivo para cada um estar aqui, o que se espera de nós a partir do momento que recebemos o dom da vida. Mas já parou para pensar no coletivo, como seres humanos que somos? Será que a vida é simplesmente nascer, crescer, reproduzir e morrer? Existe algo além disso aqui?

A Bíblia nos revela claramente que, apesar da brevidade e da fragilidade da vida, não estamos aqui meramente de passagem. Nosso tempo aqui deve ser muito bem usado para fazer uma escolha que define nosso destino eterno. Talvez fosse muito fácil se não tivéssemos distrações a nossa frente, mas, mais uma vez, somos traídos por nossa visão periférica que nos leva a prestar atenção em coisas brilhantes ou que se movimentam fora do nosso foco. E a lista de distrações é imensa, imensa mesmo!

Quanto a isso, encontramos no livro de Hebreus um conselho bem próprio: “Assim nós temos essa grande multidão de testemunhas ao nosso redor. Portanto, deixemos de lado tudo o que nos atrapalha e o pecado que se agarra firmemente em nós e continuemos a correr, sem desanimar, a corrida marcada para nós. Conservemos os nossos olhos fixos em Jesus, pois é por meio dele que a nossa fé começa, e é ele quem a aperfeiçoa. Ele não deixou que a cruz fizesse com que ele desistisse. Pelo contrário, por causa da alegria que lhe foi prometida, ele não se importou com a humilhação de morrer na cruz e agora está sentado do lado direito do trono de Deus." (Hebreus 12:1, 2 – Bíblia – NTLH).

Quando se trata de assunto sério, precisamos encontrar um jeito de acabar com as distrações. Depois de um tempo, descobri como resolver meu problema: toda vez que minha amiga começava a bater o calcanhar, eu colocava a ponta do meu pé por baixo de seu calcanhar, travando o pé dela... e pronto, problema resolvido. No que diz respeito à esfera espiritual, precisamos pedir a Deus sabedoria e força para enfrentar e vencer as tentações que nos são impostas. Caso não atentemos para isso, podemos perder situações e oportunidades de importantíssimo valor para nós.

Um grande abraço e ótima quarta!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe também, comentando!