terça-feira, 21 de abril de 2015

FALAR COM DEUS (PARTE 2)


FALAR COM DEUS (PARTE 2)
(Por Airton Sousa)

Lá pelos anos 80 eu cantava em um grupo musical gospel - Grupo Redenção. Eu era um baixo sofrível; ou seria barítono sofrível? Não sei exatamente qual era a minha voz nem sei exatamente por que cantava com o grupo, já que não sabia cantar de jeito nenhum; mas eu cantei com eles.

Na época, chegou às minhas mãos a letra da música "Someone is praying for you", do grupo americano “The Heritage Singers”. A letra em Inglês era muito bonita e eu pedi para o meu amigo Evaldo Vicente uma versão em Português. Não sei quantos daquela época se recordam, talvez nem o próprio Evaldo se lembre, pois faz muito, mas muito tempo que no banquinho que ficava do lado de fora da Secretaria da antiga Escola Adventista de Campo Grande ele escreveu a versão para essa música. Mais ou menos assim:
Há alguém orando por ti
Alguém está orando por ti
Ao pensares que estás só
E teu ser quase a cair
Lembra que existe alguém
Orando por ti
É confortante saber que alguém está orando por mim. E quando você ora por alguém grandes coisas acontecem na sua vida e, claro, na vida da pessoa por quem você está intercedendo. É uma oração desinteressada que se concentra nos outros, é como se você estivesse autorizando Deus a agir na vida alheia. “Por toda a parte ao seu redor há os que experimentam aflições, que necessitam palavras de compaixão e bondade, bem como de nossas orações humildes e piedosas.” [1]

Meu filho casou em 2009 e logo a seguir nasceu o Ryan, o neto mais lindo do mundo - aliás, se você me encontrar pela rua e perguntar por ele, pode saber que vou lhe mostrar umas duzentas fotos dele, desde bebê. Eu amo meu neto e amo meu filho e minha nora. Em 2013 houve um problema familiar e eles acabaram se separando. Meu filho voltou pra casa trazendo a Lola, a cachorrinha do Ryan. Fiquei bravo; por que não trouxe o Ryan e deixou a Lola com a Juliana (minha nora)? Brincadeirinha à parte, eu sabia que o filhão estava sofrendo muito e a saudade do Ryan era muito grande. Doía muito, meu coração, quando via meu filho triste e pensativo todas as noites quando voltava do trabalho.

No inicio de julho daquele 2013, ouvi um sermão no Youtube sobre “o poder da oração intercessora”. O pastor Fernando Iglesias fez um desafio: “Experimente orar durante trinta dias por alguém, pra você ver o que acontece com essa pessoa”. Topei. Durante aqueles dias eu acordava de madrugada, estendia as mãos na direção do quarto do meu filho e orava por ele e pelo seu casamento fracassado. Durante trinta dias orei sem falhar, insistentemente. E a resposta veio no início de agosto, um sábado antes do dia dos pais. Naquele sábado, o Ryan acordou e disse que estava com saudades do pai; não era o dia de visitas, mas ele queria ver o pai de qualquer jeito. E como não era o dia de visitas, ele subiu na laje da casa em que morava com os avós maternos e disse que só desceria de lá quando o pai dele chegasse. E lá ficou até a chegada do pai. Naquele mesmo dia o casal fez as pazes e decidiu que pelo bem do Ryan eles deveriam voltar a morar juntos. Exatamente no final dos trinta dias de oração. Logo depois nasceu o Nicolas, o segundo neto.

Hoje é dia de orar pelos outros. Lembra daquele amigo que sempre pede “ore por mim!”? É hoje que você vai orar por ele. Interceda por ele, pelos seus familiares, pelos vizinhos. E eu continuo com o meu projeto dos “Quarenta Dias de Oração”.
“Orar a Deus, faz bem a alma, falar com Deus me satisfaz!”

_____________________________

Referência:
[1].       White, Ellen G. Testemunhos Seletos vol. 3, pág. 530. Casa Publicadora Brasileira.

Um comentário:

  1. Hoje, especialmente, estou orando por algumas pessoas.
    Esse desafio de orar 30 dias por alguém para ver o que acontece na vida dessa pessoa é instigante.
    E suas histórias sobre oração são contagiantes, Amigão.
    Muito grata por dividi-las conosco.

    ResponderExcluir

Participe também, comentando!