terça-feira, 23 de maio de 2017

CRENÇAS - 7


CRENÇAS - 7
Airton Sousa - Direto de Florianópolis Paciência – Rio de Janeiro

Eu mencionei, no início desta série, os motivos que me levaram a escrever sobre “as crenças do amigão”, mas esqueci de mencionar que também aproveitei que esse é o tema oficial do Ministério Jovem da Igreja Adventista do Sétimo Dia, da qual eu faço parte. O tema oficial é este: “EU CREIO” - o qual me inspirou a falar aqui das minhas crenças. Ficou repetitivo sim, mas é para frisar bem.

Conforme você leu no texto anterior, no sexto dia da criação, disse Deus: ”Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança.”. (Gênesis 1:26)

Ao contrário da criação, onde Deus falava e tudo se criava, demonstrando Sua autoridade, poder e criatividade, com a criação do homem foi diferente. Ele não criou o homem por sua palavra. Não! Como um arquiteto talentoso, Ele o criou com Suas mãos amorosas, e então soprou o fôlego de vida em suas narinas. Ele formou o homem do pó e deu a vida; Ele compartilhou Seu próprio fôlego.

Tomando uma costela de Adão, Deus fez uma linda mulher. “Criou Deus, pois o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.”. (Gênesis 1:27)

Fomos feitos à imagem de Deus! Que honra! Deus usou o pó da terra, Ele nos criou. E agora somos chamados filhos de Deus.


Além de nos criar à sua imagem, Ele também nos deu a liberdade de escolha - inclusive de não acreditar nisso e buscar outras teorias. Hoje o que Ele mais deseja é restaurar a imagem dEle em nós. 

“Na escola de um pequeno vilarejo, havia uma menina que sempre chegava antes do horário. Ela ajudava a professora a deixar a sala preparada para o dia. Também ficava até mais tarde, limpando a lousa e sacudindo os apagadores. Durante a aula sentava-se perto da professora e prestava atenção na aula absorvendo todo o conhecimento que era passado.

Certo dia, quando as demais crianças estavam desatentas e desobedientes, a professora usou a menina como exemplo:

- Por que vocês não são como ela? Ela presta atenção. Faz os trabalhos. Chega cedo.

- Não é justo pedir que a gente seja como ela, respondeu um menino, lá do fundo da sala.

- Por quê? – Perguntou a professora.

O menino sentiu-se incomodado, desejando não ter dito nada.

- Ela tem uma vantagem. – disse sussurrando - Ela é órfã.
O menino estava certo. A menina tinha essa vantagem, a vantagem de saber que a escola, por mais tediosa que fosse, era melhor que o orfanato. Ciente disso, ela apreciava aquilo que os outros desprezavam.
Nós também somos órfãos. Sozinhos. Sem nome. Sem futuro. Sem esperança. Não fosse nossa adoção como filhos de Deus, não pertenceríamos a lugar nenhum.”

 (Noções de vida – Editora Mundo Cristão, página 13)

“E assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas.” (II Coríntios 5:17)

Ótima lembrança!
Não devemos esquecer nunca que fomos criados e chamados para ser Seus filhos e convidados para experimentar a paz e o perdão aceitando Jesus para nos transformar e restaurar em nós a Sua imagem.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe também, comentando!