quinta-feira, 4 de maio de 2017

ZÉ ALGUÉM E ZÉ NINGUÉM


ZÉ ALGUÉM E ZÉ NINGUÉM
Denize Vicente – Cidade Maravilhosa/RJ

A notícia não é nova; mas é boa. Imagine seu filho de nove anos de idade indo pra faculdade! Não, não é porque você não tem com quem deixar o menino e precisa levá-lo para ficar na sua sala de aula, enquanto você estuda... William Maillis tem apenas 9 anos e é ele quem estuda numa Universidade.

Um garotinho de nove anos, do condado de Allegheny, na Pensilvânia, EUA, terminou o ensino médio em setembro de 2016, em Penn Township, Pensilvânia, e foi convidado para ingressar na Carnegie Mellon University, em Pittsburgh, no semestre seguinte. Quando lhe perguntaram sobre suas ambições na carreira universitária ele disse: "Quero provar para o mundo que Deus existe.". Vai fazer Física e depois da graduação quer fazer Doutorado em Astrofísica “para debater teorias relacionadas aos buracos negros de gênios como Albert Einstein e Stephen Hawking”.


Os pais dizem que aos dois anos de idade William aprendeu a ler e a escrever; aos quatro, fazia cálculos de Álgebra, aprendeu a Língua de Sinais e o idioma Grego; aos cinco, dominou a Geometria e, aos sete anos, Trigonometria. Tá bom pra você? Já se sentiu um Zé Ninguém só de ler esse último parágrafo?

Pois eu tenho uma boa notícia pra você parar de se sentir assim: esse mesmo Deus, cuja existência William quer provar pela Física e pela Astrofísica, e que eu já descobri pessoalmente que existe, teve o cuidado de fazer você talvez bem diferente do William, mas igualmente especial.

Está lá no livro de Salmos, no capítulo 139, versos 13 e 14: "Tu criaste o íntimo do meu ser e me teceste no ventre de minha mãe. Eu te louvo porque me fizeste de modo especial e admirável. Tuas obras são maravilhosas! Disso tenho plena certeza.".

Eu não sei exatamente qual é sua habilidade especial, a característica que marca você (orgulhosa ou vergonhosamente); não sei qual é o detalhe que faz você ser diferente de mim, do William, não sei o que faz você ser, talvez, “bem comum”, mas quando você entender que é alguém especial, que Deus quis que você nascesse desse jeito e sempre amou você do jeito que você é... você vai passar a se ver como uma obra maravilhosa da criação e a sua vida nunca mais será a mesma. Você vai deixar de se sentir um Zé Ninguém; vai se tornar o Zé Alguém. E sua vida vai ser uma bênção.

A Bíblia está repleta de histórias de pessoas “comuns”, com defeitos, limitações, fraquezas, muitas fraquezas, que não viam nada de especial em si mesmas, mas que foram pessoas incríveis quando entenderam o milagre da vida, o sentido da sua existência, e se deixaram ser usadas por Deus, se vendo nEle, confiando nEle e escolhendo ser uma bênção para outras vidas.

Acredite: você é especial. Não há outro igual a você.
  
____________________________

Referência:


Garoto quer ser físico para 'provar que Deus existe' – disponível em:

9 comentários:

  1. Muito bom sermos diferentes! Divino.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Divino. Fantástico. Desafiador.

      Excluir
  2. Sermos diferentes faz toda a diferença...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Faz mesmo. Uma vez eu li que muito do que chamamos defeito é apenas diferença. Interessante isso, né?

      Excluir
  3. -As vezes a diferença, nos coloca em um patamar, para apreciarmos o desnudo, que causam,1 as mesmices da igualdade...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Waldo! Se todos e tudo fosse simplesmente igual, seria muito sem graça, né? Só "mais do mesmo".

      Excluir
  4. "Diante do nosso Deus você é muito especial, Deus o ama assim como é você". Apesar de sermos diferentes um dos outros, pra Deus somos todos iguais. Isso faz uma grande diferença.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah... essa é a sua música!!

      Muito bem dito! Diferentes, mas iguais. O detalhe que dá sentido a muita coisa!

      Excluir
  5. Se todos fossem iguais o mundo seria aem graça! Aprender a conviver com as diferenças é a arte de viver!

    ResponderExcluir

Participe também, comentando!