quarta-feira, 10 de maio de 2017

MINHA MÃE É UMA PEÇA 2

MINHA MÃE É UMA PEÇA 2
João Octávio Barbosa – Bento Ribeiro City - RJ


Já nesse clima gostoso de Dia das Mães, venho aqui hoje comentar e trazer lições do filme brasileiro mais “bombado” do ano. Acredito que você está aí às voltas com a decisão de almoçar na casa da sua mãe ou da sua sogra, ou talvez pensando em qual estampa de pano de prato ela ainda não ganhou de presente, ou até mesmo se perguntando se seus filhos pequenos vão lhe dar sossego pelo menos no próximo domingo.

Mesmo que toda mãe tenha um pouco de particularidade, no fim das contas a gente não resiste àquele clichê: “mãe é tudo igual!”. Àqueles que já não contam mais com suas mamães, nossa solidariedade. Àquelas mães que choram a perda de filhos, nosso abraço e um desejo de conforto que Jesus é especialista em oferecer.


E a Dona Hermínia? Ah, a Dona Hermínia é uma mãe tão típica que só podia ser única. Arrecadou 118 milhões de reais em bilheteria. Uma comédia brasileira em tons pastéis, que tem a marca registrada de Paulo Gustavo, roteirista e intérprete da personagem principal.

Hermínia é apresentadora de TV, rica, e avó. Mesmo tendo que comandar um programa, cuidar do neto, receber a irmã de Nova York, ela só se preocupa, mesmo, com o que Juliano (Rodrigo Pandolfo) e Marcelina (Mariana Xavier), seus filhos, estão (ou não) fazendo.¹


A “corujice” de uma mãe é algo a que muitos de nós já estamos acostumados. Em alguns momentos reclamamos, em outros sentimos falta. É amor, no final das contas, inegavelmente.

Porventura pode uma mulher esquecer-se tanto de seu filho que cria, que não se compadeça dele, do filho do seu ventre? Mas ainda que esta se esquecesse dele, contudo eu não me esquecerei de ti.
Isaías 49:15

A Bíblia diz que mesmo que uma mãe seja capaz de esquecer seu filhinho pequeno, Deus não se esquece de nós. É possível alguém nos amar mais que nossa mãe? Deus é capaz.

Muitas pessoas, você mesmo, talvez, não acreditam em Deus. Se enxergassem o amor que Ele tem por nós, acreditariam. Não chega a ser tão surpreendente. Em algumas fases da vida a gente chega a duvidar que nossa mãe nos ame, por causa de um castigo na infância, ou um mimo não dado.

Mas, de fato, 9 em cada 10 que estão lendo isso agora têm uma mãe que o ama muito. E 10 de 10 tem um Pai que o ama demais. Deus ama você.


SPOILER FINAL. A Sra. Hermínia buscava a felicidade do seu casal de filhos da melhor forma que ela podia. Provavelmente sua mãe também. E Deus tem esse mesmo desejo para você.

Até encontrar Jesus, todos nós somos crianças desaparecidas. Criadas nas ruas, podemos pensar que fomos abandonadas; e, assim, criar raiva dos pais biológicos que, aparentemente, nos largaram à própria sorte e nunca fizeram nada para nos achar. Mas a história não é essa.

Somos crianças desaparecidas. Mas não fomos abandonadas. Fomos sequestrados pelo pecado que nos separa de Deus. E em toda nossa infância fomos procurados ardentemente pelo nosso Pai. Para voltarmos a ser criados por Ele. Ser amados por Ele. A obedecer a Ele.


Sua foto está em todos os jornais. Seu Pai busca você todos os dias. Até esse texto Ele usou para falar da saudade que Ele sente de você.
Venha!
        

Não peço que concordem, espero que reflitam!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe também, comentando!