sexta-feira, 26 de maio de 2017

RECLAMO MESMO!



RECLAMO MESMO!
Denize Vicente – Cidade Maravilhosa/RJ

A Revista “Vida e Saúde” deste mês trouxe uma matéria bem legal, mostrando que está provado, cientificamente, que a gente tem que parar de “mimimi”. Isso mesmo. Eu já tinha essa sensação de que o mundo tá ficando chato pra caramba, de tanta reclamação, e já falei sobre isso aqui mesmo no blog (perdeu? clique AQUI), mas a revista trouxe outra questão interessante: é possível tornar-se um “reclamão passivo”.  

Sabe aquela história do “fumante passivo”? O cara jamais colocou um cigarro na boca, mas convive direto com gente que fuma e termina se tornando um “fumante passivo”, com “direito” a contrair as mesmas doenças. Pois é... o convívio com negativistas pode nos transformar em “reclamões passivos”.

E aí vem o lance: será que você é o negativista da história? Será que você é do tipo “reclamo mesmo!” e a turma que anda com você, a galera do seu grupo e sua família já estão sendo contaminados sem nem perceber? Será que nem você mesmo percebe?

Seja lá de que lado você esteja, uma coisa vamos todos concordar: nesta vida que vivemos há mil motivos pra reclamar! Por outro lado... precisamos mesmo reclamar de tudo? Às vezes a reclamação é infundada, é só irritabilidade grau máximo; ou...  pode ser que você esteja mesmo infeliz e aí a lamúria é superverdadeira e faz sentido. Só que isso não muda nada... com razão ou sem razão, o reclamão é um chatão.

Na semana que vem eu vou trazer pra você os três passos pra deixar o “mimimi” de lado. Mas só na semana que vem...

Eita!, não acredito... você já tá reclamando?? Rsrsrs Hoje eu quero propor um teste, pra você saber de uma vez por todas, e só aqui entre nós, se você é reclamão. Topa?

Vambora! Pegue um papel e uma caneta pra anotar as respostas. Seja sincero ao escolher a opção que mais se aproxima do jeito como você iria reagir em cada situação, ok? São só dez perguntinhas.


1. Você está estudando arduamente para realizar uma prova de concurso que proporcionará a você ter um emprego que almeja muito; mas, infelizmente, você é reprovado. Então você: 

  1. ( ) Critica as questões da prova e diz que ela não foi bem elaborada. 

  1. ( ) Fica triste, mas procura saber quando será a próxima a fim de fazer um segundo plano de estudo. 

  1. ( ) Finge que nada aconteceu e diz não estar decepcionado

2. Uma pessoa muito querida da sua família sofre um acidente, é levada hospital, mas, infelizmente, acaba falecendo. Você automaticamente:

  1. ( ) Reclama dos médicos, enfermeiros e dos serviços prestados, apesar de o paciente ter chegado gravemente ferido ao hospital. 

  1. ( ) Sente-se devastado e "sem chão", porém encontra forças em amigos e outros familiares nesse momento difícil. 

  1. ( ) Não chora e diz que não precisa de ajuda porque isso seria demonstração de fraqueza emocional.

3. Se você se lembrar de seus pais ou de pessoas que cuidaram de você de maneira bem próxima, eles (ou algum deles): 

  1. ( ) Eram muito críticos com você, com a vida ou consigo mesmos. 

  1. ( ) Passavam por momentos difíceis, porém não sucumbiam a eles. 

  1. ( ) Jamais falavam sobre decepções ou demonstravam sentimentos negativos.

4. Em seus relacionamentos interpessoais, quando o que você espera da outra pessoa não acontece, você tende a:

  1. ( ) Bombardeá-la com críticas a respeito do que ela não faz. 

  1. ( ) Conversar sobre como se sente e compartilhar o que espera do relacionamento. 

  1. ( ) Não critica nem fala nada, para evitar discussões.

5. Se fizer uma autoavaliação dos últimos meses, você consegue perceber que, na maioria das vezes: 

  1. ( ) Independentemente do que aconteça, sua tendência tem sido reclamar de tudo na vida, ou até de si mesmo. 

  1. ( ) Você consegue enxergar o lado positivo das coisas, por mais que coisas ruins também aconteçam. 

  1. ( ) Nem pensa mais nas coisas ruins, porque isso é sinal de fraqueza emocional.

6.  Seus amigos e familiares mais próximos dizem que: 

  1. ( ) Você sempre reclama de tudo. 

  1. ( ) Você consegue passar por situações difíceis, porém, também enxergando o que está dando certo na vida. 

  1. ( ) Para você nunca há tempo ruim.

7.  Você está precisando desenvolver um novo hábito de vida que contribuirá muito para sua saúde. Porém, todo desenvolvimento de um novo hábito exige esforço. Geralmente, você:

  1. ( ) Fica irritado em ter que se esforçar para fazer algo que não é natural, e acaba se chateando com isso tudo. 

  1. ( ) Sente dificuldade nos primeiros momentos, porém procurar manter o foco em seu objetivo e se motivar com suas conquistas, mesmo que pequenas. 

  1. ( ) Pensa que não terá nenhum problema nesse processo e que vai "tirar de letra" toda essa mudança.

8. Você organizou uma festa de aniversário para um familiar muito querido, e tudo saiu muito bem: a comida estava deliciosa, as pessoas estavam felizes. No entanto, apenas um convidado não compareceu porque teve uma situação de emergência. Então você: 

  1. ( ) Acha que a festa foi um fracasso, que foi uma falta de consideração essa pessoa não ter comparecido, e tende a enumerar os defeitos dessa pessoa ou mesmo da festa. 

  1. ( ) Sente falta do convidado, mas entende que não foi por má vontade, e consegue alegrar-se com o que deu certo. 

  1. ( ) Procura nem pensar nisso, porque não quer se estressar.

9. Em seu trabalho, você tem se empenhado em um projeto há vários meses e finalmente ele chega ao fim. Ao apresenta-lo para seus colegas, um deles sugere algumas mudanças. Você: 

  1. ( ) Mentalmente começa a enumerar um monte de defeitos da pessoa que fez a sugestão pra você, e não consegue conter sua indignação pela audácia dela em sugerir algo.

  1. ( ) Pensa a respeito da sugestão e avalia se ela será positiva. 

  1. ( ) Imediatamente faz a mudança em seu projeto. Afinal, não devemos desapontar as pessoas.

10. Um dia você amanhece se sentindo despreocupado e verdadeiramente feliz. Que pensamento passa pela sua cabeça?

  1. ( ) "Que estranho… Isso não é normal! O que será que está acontecendo?"

  1. ( ) "Que bom! Gosto muito de me sentir assim!"

  1. ( ) "É assim que eu devo estar sempre, mesmo quando passar por dificuldades!"



Eu ia deixar pra dar o resultado na semana que vem, mas, sabe como é... antes que alguém aí termine o teste reclamando, vamos lá:

Some quantas vezes você assinalou as letras A, B e C.

Somou? Agora leia o resultado.
Mas, antes, leia este verso:

O que foi que trouxemos para o mundo? Nada! E o que é que vamos levar do mundo? Nada! Portanto, se temos comida e roupas, fiquemos contentes com isso. (...) algumas pessoas, por quererem tanto ter dinheiro, se desviaram da fé e encheram a sua vida de sofrimentos.” 
(I Timóteo 6:7-10)
Fiquemos contentes, poxa!:)


MAIORIA “A”
Você é uma pessoa reclamona. Geralmente é negativa sua maneira de interpretar os acontecimentos da vida, a maneira de outras pessoas serem e/ou até mesmo quem você consegue ser. Nem sempre isso tem a ver com a própria realidade, mas com um padrão automático de pensamento que você adquiriu ao longo da vida. Conscientizar-se disso e buscar uma mudança poderá colaborar para a sua saúde mental e, inclusive, física.

MAIORIA “B”
Você é uma pessoa resiliente. Em meio a situações difíceis da vida, você geralmente consegue enfrentar as dificuldades sem deixar que elas tomem conta de você, experimentando os sentimentos desagradáveis, e paralelamente tendo a capacidade de olhar para esses desafios sob uma perspectiva de aprendizado.

MAIORIA “C”
Você é uma pessoa autoexigente. Parece que você entende que ser emocionalmente forte significa não sofrer e não pensar naquilo que machuca você e, com isso, acaba se esquivando de assuntos ou situações que sejam difíceis. No entanto, fingir que nada está acontecendo e sempre se exigir estar bem não faz parte da realidade da vida. Ser forte não é ser sempre feliz, mas saber passar pelas frustrações, perdas e decepções sem sucumbir a elas.



Semana que vem a gente fala sobre os três passos... Até lá.

"Com a força que Cristo me dá, posso enfrentar qualquer situação.”
Filipenses 4:13
_________________________________

Referências:

Revista Vida e Saúde – CPB - Edição de maio/2017 - http://www.revistavidaesaude.com.br

Teste elaborado por Thaís Souza, Psicóloga Clínica e Pós-Graduada em Aconselhamento Familiar – www.psicologiaemcasa.com.br | www.thaissouza.com.br



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe também, comentando!