quinta-feira, 13 de abril de 2017

DISPLAY


DISPLAY
Airton Sousa - Direto de Florianópolis Paciência - Rio

Há muitos anos, ouvi uma palestra antológica do publicitário Alex Periscinoto, na época meu patrão na ALMAP BBDO, em que ele contava sobre outra palestra antológica que havia feito em uma conferência dos Bispos da Igreja Católica. Ele contava assim:

Nós, profissionais da comunicação, descobrimos que há muito que agradecer a vocês, pois todas as ferramentas de trabalho que a gente usa hoje na comunicação foram inventadas pelos religiosos. Se não, vamos lá: O primeiro veículo de comunicação de massa inventado até hoje, o mais forte de todos, foi o sino. O sino que tinha mensagem nas suas batidas atingia, na ocasião das aldeias, 80, 90% das pequenas cidades. Ele não só atingia, como modificava o comportamento físico e mental de 80, 90% das aldeias cada vez que ele batia e espalhava suas mensagens de maneira singular.

Depois desse grande veículo de comunicação de massa, continuando nessa nossa analogia, vocês religiosos inventaram uma ferramenta que a comunicação usa muito hoje, o display. Nós usamos o display para destacar uma informação. Quando todos os telhados das aldeias eram baixinhos, vocês construíram um telhado altíssimo, 4, 5 vezes maior e em forma de ponta e isso não era para facilitar o caimento da neve porque em países onde não existia neve vocês continuavam obedecendo esse desenho arquitetônico. Isso era para se avistar ao longe a torre da igreja, logo que se entrasse na aldeia. Por esse display, a gente com facilidade localizava a igreja. Mais do que isso, vocês inventaram o primeiro logotipo, o mais feliz deles, a cruz. A cruz que nunca foi esquecida de ser colocada no alto do display e que permitia que, além de se identificar que ali era uma igreja, também se identificava que ela pertencia àquela marca, àquela religião e não à marca concorrente.


Eu me recordei disso enquanto preparava o cenário para o lançamento de um projeto direcionado aos jovens da minha igreja. Recebi o material do tema que consistia em um cartaz com uma cruz, na qual estavam mencionados todos os temas que os jovens irão estudar e conhecer este ano. Aquele simples cartaz incomodava minha alma inquieta; eu precisava criar algo mais denso. Foi quando tive a ideia: dar vida à cruz daquele cartaz. Devo dizer que quando se trata de criar e produzir, e mesmo escrever, eu não paro enquanto não consigo fazer algo diferente e enquanto não encontro alguém tão louco quanto eu que diga que é possível viabilizar a loucura. Só os loucos sabem...

Conversei com meu amigo Phil, um grande amigo produtor que conheci recentemente, e contei a ideia para ele. Ele topou. Mandou as medidas e um modelo de como ficaria o adesivo e o tipo de madeira que eu deveria comprar.



Enquanto meu amigo Phil adesivava a cruz eu olhava todos os temas e doutrinas estampadas nela e fiquei pensando qual era a mensagem que aquela cruz queria me passar. Foi quando tive um estalo: “Caramba, são muitas crenças, mas elas não resistem à cruz”. É isso!!! Gritei. Agora ficava bem claro para mim: por mais crenças que existam, por mais doutrinas que sejam, nunca esquecer o símbolo maior dessas crenças todas. A cruz é a marca registrada da Graça de Deus! Como disse o Alex, na palestra antológica, “o primeiro logotipo, o mais feliz deles, a cruz. A cruz que nunca foi esquecida de ser colocada no alto do display.”. Que fantástico!



O símbolo da cruz está aqui para dizer que você é salvo por Deus, transformado por Deus, e que está vivendo com Deus. Quando todos insultam você, ou o largam de lado, quando lhe chamam de estúpido, ou preguiçoso, quando o acusam de traíra mesmo sem você ter feito isso, quando lhe viram as costas... A cruz foi erguida para conectar você com Deus, e todas as áreas da sua vida vão sofrer uma reviravolta radical no momento em que perceber que a cruz está mais entranhada no seu dia a dia do que você jamais imaginou.

Entender isso pode ser mais emocionante do que um rolê de skate, ou uma onda perfeita, ou um salto sensacional de bungee jump, ou jogar futebol descalço na quadra, embaixo de chuva.

Faça um favor a si mesmo: deixe suas tristezas aos pés da cruz. Deixe-as lá, junto com seus dias ruins, seus momentos de muita loucura e ansiedade, e todos os seus erros.


Jesus Cristo prometeu voltar novamente e nos levar para um mundo diferente que não conhecemos. Porém, como desconhecemos, não sabemos se estamos a fim de ir... Mesmo assim Ele insiste: Eu não me esqueci de ti, virei outra vez! (João 14:1-3).

Alguém deve estar pensando: “Sabe, amigão, se eu deixar todos os meus anseios e dúvidas e problemas aos pés da cruz, minha vida vai mudar radicalmente.”...

Concordo.

Sua vida vai mudar radicalmente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe também, comentando!