sexta-feira, 12 de agosto de 2016

BRASILINA

BRASILINA
Por Denize Vicente

Era uma negra forte, olhava nos nossos olhos, tinha uma risada inconfundível, uma voz marcante... era um mito, pra mim e pra garotada.

Ela se chamava “Brasilina” - o que sempre despertou em mim um desejo indiscreto de saber o porquê, mas nunca tive a chance de lhe perguntar a origem do nome, uma curiosidade que permanece até hoje na minha cabecinha.

Éramos crianças. Às vezes íamos com nossos pais à casa da D. Brasilina, para visitá-la, orar, cantar pra ela. Outras vezes a encontrávamos na igreja. E em todas essas oportunidades, absolutamente todas, ela recitava um verso lindo pra dizer que confiava em Deus.

Dona Brasilina morava em Cordovil, um lugar simples, na zona norte do Rio. Era uma negra forte, olhava nos nossos olhos, tinha uma risada inconfundível, uma voz marcante... era um mito, como eu disse.

O tempo passou. A gente cresceu.
Um dia, eu soube, Dona Brasilina morreu...  Não, pera! Um mito não morre.
Dona Brasilina ainda é “o cara”, pra mim.

Ali, sentada na sua cadeirinha, com sua simplicidade, experiência de vida e sabedoria sempre deixou claro que a gente precisa ter alguém em quem confiar. Eu nunca me esqueci daquele verso que ouvia, ainda criança, repetidamente recitado por ela. E aprendi a lição.

Ontem, assistindo à prova de adestramento no Centro Olímpico de Hipismo do Rio de Janeiro, eu pude ver cavalos lindos, treinados durante anos por profissionais altamente capacitados e montados por cavaleiros e amazonas dedicados, mas que em determinado momento da apresentação “empacaram”, se recusando a executar o movimento, ou que se assustaram durante a apresentação. Isso custou a perda de pontos para o competidor, alterando o quadro de classificação da competição. Eles confiavam, mas não deu certo.


Algumas vezes a gente vê acidentes terríveis que acontecem por uma falha no sistema mecânico ou elétrico de um carro, fazendo vítimas fatais... Quantas vezes! Os motoristas confiavam no carro que tinham. E não deu certo.


Dona Brasilina deixou fixada na nossa mente infantil a melhor lição que poderia nos dar sobre confiança... Crescemos, mas eu duvido que algum de nós tenha alguma dúvida sobre isso. Ela dizia, todas as vezes, clara e incessantemente: “Uns confiam em carros, outros em cavalos; nós, porém, confiamos no Senhor nosso Deus.” (Salmos 20:7).

Eu não sei em quem ou no que você tem confiado; mas tudo e todos podem falhar, em algum momento. Não o Senhor nosso Deus. Talvez um problema no trabalho, talvez a desesperança de ver a família se desintegrando, talvez uma tristeza imensa, uma dor bem grande, estejam mostrando a você a necessidade de estabelecer uma verdadeira relação de confiança. Quem sabe o sucesso profissional, o status que você tem, a excelente situação financeira que vive neste momento em que tantos estão indo mal estejam confundindo a sua percepção e fazendo você confiar naquilo que não devia...

Eu não sei onde você está depositando a sua confiança. Mas se não for em Deus... 'tá na hora de rever seus conceitos.

“Como diz a Escritura: ‘Todo o que nele confia jamais será envergonhado’.”


2 comentários:

  1. Gostei muito do texto. Aproveitaria para acrescentar a passagem abaixo:
    " Os que confiam no SENHOR serão como o monte de Sião, que não se abala, mas permanece para sempre." Salmo 125:1

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo!
      É confiar e seguir firme.

      Excluir

Participe também, comentando!