sexta-feira, 19 de agosto de 2016

BALANÇO



BALANÇO
Por Denize Vicente

No dia 14 de agosto foi divulgado o primeiro balanço da Olimpíada do Rio, feito pelo Jornal “O Globo”, um dos mais antigos e tradicionais do país, digamos assim. Um balanço da primeira semana, relatando os altos e baixos da competição mais badalada do mundo do esporte.

No próximo domingo se encerra, oficialmente, a Rio 2016. E nesse mesmo dia, mais tarde, o mundo inteiro, eu e você, estaremos também fazendo uma análise dos Jogos Olímpicos e do seu impacto desde a fase de preparação, passando pelos momentos das grandes exibições em cada modalidade esportiva, até o que chamamos de “legado”, ou seja, aquilo que ficará de herança a partir do encerramento desta Olimpíada.

 
Nossa vida é também um grande evento. Para Deus, que nos criou pensando em cada detalhe, cuidando para que tudo saísse perfeito, somos o maior evento da história do Universo; cada um de nós. Desde a fase preparatória, quando pôs no céu o sol e a lua, quando deu brilho às estrelas... quando colocou aqui o mar, as árvores e as aves, e os animais de cada espécie num jardim fantástico... e mesmo agora, durante nossa “exibição” para os mundos, Deus pretendeu proporcionar um grande espetáculo, e sonhou com um legado sensacional após o encerramento da minha e da sua vida aqui na Terra.

Como todo grande evento, nossa vida exige balanços sérios e periódicos. Não dá pra pensar em fazer balanço somente ao final, porque isso inviabilizaria qualquer possibilidade de consertos e ajustes; é preciso um olhar profundo, isento e frequente.

Neste domingo, ao comentar com seus amigos sobre a Rio 2016, ao fazer seu balanço pessoal dessa Olimpíada, lembre-se de que você também está sob o olhar do mundo e que a sua vida é o maior evento da história do Universo, além de ser um show à parte para seus amigos, sua família, e para aqueles que, mesmo sem conhecer você, sofrem o impacto das suas ações e reações. Faça, periodicamente, um balanço da sua própria vida. Em seguida, trabalhe depressa para corrigir os erros e aperfeiçoar os acertos, comemorando, inclusive. 

Porque apesar de não ser possível viver sem passar por altos e baixos, com certa dedicação a gente consegue ajustar as coisas e deixar um legado positivo para a alegria do Criador e de todos os expectadores.

Pense bem.


“Pois Tu formaste o meu interior. Tu me teceste no seio de minha mãe. Graças Te dou, visto que por modo assombrosamente maravilhoso me formaste; as Tuas obras são admiráveis, e a minha alma o sabe muito bem...” 



3 comentários:

Participe também, comentando!