sexta-feira, 26 de agosto de 2016

DEUS ODEIA... DEUS DETESTA...


DEUS ODEIA... DEUS DETESTA...
Por Denize Vicente

Todo mundo ouviu a história do nadador americano que veio para a Olimpíada do Rio, mentiu para a namorada, para a imprensa e para a Polícia, e perdeu todos os seus patrocinadores...

Todo mundo já ouviu da mãe, na escola ou na igreja: “Não dirás falso testemunho contra o teu próximo.”.

Todo mundo sabe que mentir é feio e Deus não gosta.

Mas o que talvez nem todo mundo saiba é que não é só a mentira que deixa Deus desgostoso...


Há seis coisas que o Senhor odeia, e a sétima ele detesta: olhos altivos, língua mentirosa, mãos que derramam sangue inocente, coração que traça planos perversos, pés que se apressam para fazer o mal, a testemunha falsa que espalha mentiras e aquele que provoca discórdia entre irmãos.“ (Provérbios 6:16-19)

Talvez você não tenha o costume de mentir. Que bom! Mas talvez tenha olhos altivos, nariz em pé. Talvez não seja assim, mas goste de planejar uma vingança ou um castigo pra alguém que não foi legal com você... Talvez costume pagar o mal com o mal... Ou goste de ver o circo pegar fogo, provocando discórdia entre as pessoas, colocando lenha na fogueira.

Eu sei... nós somos humanos e temos nossas falhas, cada um a sua (ou as suas), e às vezes fazemos essas coisas não por gosto, mas porque somos humanos e erramos e pecamos, mesmo sem querer. “Pois o que faço não é o bem que desejo, mas o mal que não quero fazer esse eu continuo fazendo.” (Romanos 7:19)


É... É bem assim.

“[...] Eu sou humano e fraco e fui vendido ao pecado para ser seu escravo. Eu não entendo o que faço, pois não faço o que gostaria de fazer. Pelo contrário, faço justamente aquilo que odeio. Se faço o que não quero, isso prova que reconheço que a lei diz o que é certo. E isso mostra que, de fato, já não sou eu quem faz isso, mas o pecado que vive em mim é que faz. Pois eu sei que aquilo que é bom não vive em mim, isto é, na minha natureza humana. Porque, mesmo tendo dentro de mim a vontade de fazer o bem, eu não consigo fazê-lo. Pois não faço o bem que quero, mas justamente o mal que não quero fazer é que eu faço. Mas, se faço o que não quero, já não sou eu quem faz isso, mas o pecado que vive em mim é que faz. Assim eu sei que o que acontece comigo é isto: quando quero fazer o que é bom, só consigo fazer o que é mau. Dentro de mim eu sei que gosto da lei de Deus.” (Romanos 7:14-22)

Se você também se sente assim, se vê assim, e age assim, eu tenho uma boa notícia pra você: é sobre amor e sobre graça (com a devida licença do nosso colunista das terças-feiras, porque esse tema “graça” é muito dele... rs):

“A mesma coisa também acontece agora, isto é, por causa da graça de Deus, ainda existe um pequeno número daqueles que ele escolheu. Essa escolha se baseia na graça de Deus e não no que eles fizeram. Porque, se a escolha de Deus se baseasse no que as pessoas fazem, então a sua graça não seria a verdadeira graça.”
(Romanos 11:5-6)

Isso não quer significar que você pode continuar, deliberadamente, fazendo todas as coisas que são feias e você sabe que são erradas, que aborrecem o seu Deus e causam o mal ao seu semelhante, que tá tudo certo. Isso apenas quer dizer que não há nada que você faça ou que deixe de fazer que vá aumentar ou diminuir o amor que Deus tem por você.

“Pois eu tenho a certeza de que nada pode nos separar do amor de Deus: nem a morte, nem a vida; nem os anjos, nem outras autoridades ou poderes celestiais; nem o presente, nem o futuro; nem o mundo lá de cima, nem o mundo lá de baixo. Em todo o Universo não há nada que possa nos separar do amor de Deus, que é nosso por meio de Cristo Jesus, o nosso Senhor.”
(Romanos 8:38)

Em síntese, Ryan Lochte vacilou feio, eu vacilo, você também. E talvez a gente pise na bola mesmo quando deseja fazer a coisa certa... Mas graças a Deus, que pode nos alcançar assim mesmo, e trabalhar em nós o querer e o efetuar, com Sua graça e Seu amor, até o dia em que seremos perfeitos. Porque “a vereda dos justos é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito.”. Chegaremos lá!

https://www.bible.com/bible/212/pro.4.18


17 comentários:

  1. Vc tem o dom de tocar o coração das pessoas.

    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "...mas sei que nada do que vivemos tem sentido se não tocamos o coração das pessoas."

      Excluir
  2. Gosto muito de Romanos e especificamente da luta de Paulo entre as suas faculdades carnais e espirituais. Mas que bom que temos Jesus Cristo que nos livra do corpo dessa morte, nos livra de nós mesmos. Na época de Paulo quando alguém cometia algum assassinato o réu deveria andar com o corpo do morto preso às suas costas, assim a morte por ele provocada logo seria a sua também. Porém Paulo termina essa luta entre a carne o espírito de maneira magnífica: "Miserável homem que eu sou! quem me livrará do corpo desta morte? Dou graças a Deus por Jesus Cristo nosso Senhor. Assim que eu mesmo com o entendimento sirvo à lei de Deus, mas com a carne à lei do pecado. Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito." Romanos 7:24-8:1.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Lucas. É uma luta!
      Que bom que existe essa coisa chamada "a graça de Deus"!

      Excluir
  3. Respostas
    1. ��
      Bom ter vc por aqui, Agnes!
      Vc é sua turma!

      Excluir
  4. Respostas
    1. Bom te ver por aqui, ex-vizinho!!
      ;)

      Excluir
  5. Devemos refletir muito ao emitir julgamento para as ações do próximo! Quem de nós nunca pecou? Mas Se o arrependimento é eficaz certamente terá o perdão de Deus! O texto reflete isdo de forma magistral! Parabéns

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Cris. A gente costuma enxergar com mais facilidade o cisco no olho do outro do que a trave no nossos próprios olhos.

      Sem minimizar a gravidade da conduta do moço, que feriu nosso orgulho, manchou a imagem da gente pro mundo inteiro, e cometeu um crime que teve consequências que ultrapassaram o desconforto, existe uma tendência, em nós, de enxergar e discorrer sobre os erros dos outros, e ao cometermos os nossos, tentamos fingir que nem erros são...

      Como vc disse, reflexão e arrependimento são mais que duas palavras no dicionário. Porque errar também faz parte da nossa própria vida (diariamente).

      Excluir
  6. Devemos refletir muito ao emitir julgamento para as ações do próximo! Quem de nós nunca pecou? Mas Se o arrependimento é eficaz certamente terá o perdão de Deus! O texto reflete isdo de forma magistral! Parabéns

    ResponderExcluir

Participe também, comentando!