quarta-feira, 24 de agosto de 2016

REBAIXAMENTO


REBAIXAMENTO
Por João Octávio Barbosa

Assunto dramático para um vascaíno. Aqui no blog somos maioria. De quarta a domingo, você lê textos de torcedores do Vasco (com uma exceção, já falo dela). Terça escreve um palmeirense (!) e na segunda e sexta, flamenguistas. Porém, essa de sexta (a exceção na sequência de vascaínos) é a torcedora mais ativa na arte da zoação de todos os sete integrantes. E, mesmo assim, eu vou falar de rebaixamento.

Mas não é o do Vasco. Nenhum dos três. É de Plutão. Há exatos 10 anos, Plutão virou um planeta anão. Um “minimundo”, sem estar no mesmo nível dos demais do Sistema Solar, como Marte, Júpiter e Urano. Inferiorizado.


Socialmente, certas pessoas classificam outras “certas pessoas” em categorias hierárquicas. Quero falar sobre a história de dois homens de uma parábola de Jesus. Eles eram vistos como de classes diferentes. E eles mesmos incorporavam essa visão em sua vida. Veja o texto:


"E disse também esta parábola a uns que confiavam em si mesmos, crendo que eram justos, e desprezavam os outros:

Dois homens subiram ao templo, para orar; um, fariseu, e o outro, publicano.
O fariseu, estando em pé, orava consigo desta maneira: Ó Deus, graças te dou porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros; nem ainda como este publicano.

Jejuo duas vezes na semana, e dou os dízimos de tudo quanto possuo.
O publicano, porém, estando em pé, de longe, nem ainda queria levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: Ó Deus, tem misericórdia de mim, pecador!"


Em suas casas, as orações foram mais completas:

“Grande e Todo Poderoso Deus, Senhor de todas as galáxias e do Infinito Universo, Ser Criador e Mantenedor deste mundo, Nome que eu exalto e glorifico de pé, agora ajoelhado, e agora ajoelhado com o rosto no chão! Levantei. Ouve-me, ó Deus, ouve-me mais uma vez, como o Senhor sempre faz!"

“Ó Deus! Agradeço por me abençoar tanto! Claro que eu faço por merecer, e assim até ficar fácil me amar, mas mesmo assim és bom, muito bom, tão bom para mim! Eu te louvo com música, até porque canto maravilhosamente, e te enalteço com orações belíssimas (as mais belas da sinagoga, como fui eleito mês passado)."


“Quero engrandecer seu Santo Nome por me fazer uma pessoa tão feliz e maravilhosa! Por estar me tornando cada vez mais santo, puro, imaculado, invencível e impecável! A cada dia sinto que sua Mão Poderosa vai me tornando uma pessoa cada vez melhor, atingindo níveis de santidade nunca antes vistos, algo digno de nota, talvez de alguma placa comemorativa, uma menção honrosa no Céu, uma coroa especial na Nova Jerusalém, não sei, qualquer coisa, confio na sua criatividade, estamos aí aceitando qualquer brinde!"

“E acima de tudo quero enaltecer a Ti acima das estrelas por ser tão, mas tão, mas tão, tão, tão melhor que a maioria dos que estão por aí, pecando, errando, empobrecendo, se alienando, se enlameando na miséria de espírito!"

“Agradeço por estar tão parecido com o Senhor, que já estou quase sendo confundindo nas ruas! Obrigado por toda a exaltação que eu recebo dos homens, e certamente recebo dobrado de Ti! Amém.”


“Deus, sou eu de novo. Não sei como tenho coragem de falar com o Senhor novamente. Ao meu redor só enxergo os meus pecados. Falho em tudo que faço. Soa tão hipócrita te pedir perdão. Mas peço. Não porque eu mereça, mas porque sei que estás disposto a ter misericórdia de mim, mesmo sendo quem eu sou. Só Tu podes me amar, mesmo sabendo quem eu sou. Cheio de erros, ignorâncias, ingratidões, fraquezas e mentiras."

“Não enxergo o que fazer para me salvar. A menos que eu olhe para Ti. Não peço que melhores a minha vida, peço apenas que estejas disposto a me perdoar mais uma vez. Tenho fé que me aceitarás de novo. Não tenho nem sou nada, mas em Ti tenho e sou tudo. Bato no peito e peço: entra e muda meu coração. Amém”.

Digo-vos que este desceu justificado (livre, inocente, perdoado!) para sua casa, e não aquele; porque qualquer que a si mesmo se exalta será humilhado, e qualquer que a si mesmo se humilha será exaltado.

Lucas 18:14, palavras de Jesus.

Não peço que concordem, espero que reflitam!

3 comentários:

  1. Sinto-me honrada com o reconhecimento. Uma espécie de orgulho camarada toma conta do meu ser, ao ser considerada "a torcedora mais ativa na arte da zoação de todos os sete integrantes" do blog.
    É mesmo uma honra, meu caro nanico da colina!
    Ih! Foi mal... era pra ser só alegria...


    _____________

    Quanto ao outro prisma do "rebaixamento", gostei demais desse texto, Jobs! Um convite à reflexão ponderada. Porque às vezes somos mesmo levados a pensar que merecemos algumas das incríveis bênçãos de Deus; que fizemos por onde. E daí pra pensar que somos melhores do que outros é um pulo. PE-RI-GO! PE-RI-GO! PE-RI-GO!

    Grande abraço, meu caro.

    ResponderExcluir
  2. Senti o cheirinho...
    O cheirinho de um comentário simpático

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E eu achando que era o do hepta!!
      :)))

      Excluir

Participe também, comentando!