sexta-feira, 27 de maio de 2016

A PIOR COISA QUE PODE ACONTECER NA SUA VIDA
É A CALMARIA


A PIOR COISA QUE PODE ACONTECER NA SUA VIDA
É A CALMARIA
Por Denize Vicente

“Já ancorado na Antártica, ouvi ruídos que pareciam de fritura.
Pensei: será que até aqui existem chineses fritando pasteis?
Eram cristais de água doce congelada que faziam aquele som quando entravam em contato com a água salgada. O efeito visual era belíssimo.
Pensei em fotografar, mas falei para mim mesmo:
- ‘Calma, você terá muito tempo para isso...’
Nos 367 dias que se seguiram, o fenômeno não se repetiu. Algumas oportunidades são únicas.”
Amyr Klink


Hoje eu queria escrever sobre “oportunidades”.

Tem muita gente que vive reclamando da vida, passa seus dias se lamentando, olhando pro lado e pensando: “Por que as coisas sempre dão certo pros outros e pra mim nada funciona?”. Muitas vezes as pessoas reclamam da sua sorte, ficam bem chateadas observando as coisas que acontecem para os outros e não para elas, e se sentem injustiçadas. A culpa, então, vai para todos: a vida, Deus, o Governo, os pais, o chefe, a genética, os vizinhos, os filhos, o professor, o padre, o pastor, o namorado, a noiva, o cônjuge, a lua, a maré...

Uma vez eu li que “aqueles sucessos que aparecem do dia pra noite geralmente levaram anos para acontecer.”. Um cantor que, do nada, estourou o maior sucesso nas rádios; a colega de classe que, sabe-se lá como, tirou dez na prova de Química; o vizinho que, de repente, acabou de conseguir um emprego numa das maiores multinacionais do país; o primo que, sem mais nem menos, apareceu com um carro novinho, na garagem; a filha da amiga dos seus pais que, pasme!, passou no concurso da Procuradoria Federal; o colega do tempo da escola que agora, simplesmente, é um artista famoso; o casal de amigos seus que, olha que louco!, comprou um apartamento novinho e agora vai casar... tudo isso só faz certas pessoas pensarem no tanto de sorte que os outros têm; e clamam, reclamam, choram, maldizem, argumentam e lamentam.

São pessoas que não se dão conta de que “os outros”, os bem-sucedidos, aqueles que atingiram o “sucesso”, um dia, certamente, tiveram que fazer algo além do mínimo; tiveram que perceber uma oportunidade que surgiu e então a agarraram. Provavelmente, para aproveitar a oportunidade, alguns perderam noites de sono, alguns fizeram diferente da maioria, abriram mão de conveniências, reorganizaram sua lista de prioridades (não sem dor), talvez tenham trabalhado um pouco mais do que o que lhes era exigido, estudaram, se dedicaram, experimentaram, continuaram lutando quando outros já haviam desistido, alguns talvez até se arriscaram, mas todos, com certeza, todos aproveitaram a oportunidade que, na maioria das vezes, exige que a gente encare o desafio, cruze a linha do mediano, do regular, e do mero cumprimento da obrigação.

É muito mais comum que as oportunidades surjam camufladas, disfarçadas de problemas ou de impossibilidades, do que com plaquinha de identificação “EU SOU A SUA CHANCE”.

Então, é necessário ser sábio e é preciso estar alerta, olhar ao redor para encontrar a oportunidade ou, se for o caso, ir buscá-la.


“Aproveitem ao máximo todas as oportunidades.” Colossenses 4:5

“Os dias em que vivemos são maus; por isso aproveitem bem todas as oportunidades que vocês têm.” Efésios 5:16

O texto que citei, no começo deste post, é de Amyr Klink, e fala que algumas oportunidades são únicas... E eu queria terminar nosso papo de hoje com um trecho do seu livro “Paratii entre dois pólos” que fala sobre estar alerta e sobre a importância de não achar que o fato de tudo estar calmo e num bom lugar é um bom sinal.

Ele conta do momento em que, faltando três ou quatro semanas para chegar de volta ao Brasil, no retorno da Antártica - já no Equador, onde o mar, a partir dali, já é mais tranquilo, sem risco de tempestades, e o trânsito de navios é muito menor - quase perdeu seu veleiro num choque frontal com uma grande embarcação argentina. E isso apenas porque no momento em que o despertador tocou e ele deveria olhar em volta, preferiu continuar tomando seu banho de sol, “vestido apenas com seu relógio”, e lendo um livro. Ele cita um navegador russo, com quem se encontrara durante a expedição:

"A pior coisa que pode acontecer no mar, depois de perder a tripulação, não é encontrar o gelo, como você tá preocupado, e não são as tempestades, como você tá pensando; a pior coisa que pode acontecer no mar, pra um navio polar, são as calmarias, sempre, porque durante as calmarias a gente relaxa e é pego de surpresa pelos problemas.".

E Amyr Klink finaliza, dizendo:
“E de fato ele tinha razão. Eu quase perdi o Paratii, simplesmente, porque quando o despertador tocou, naqueles quarenta e cinco minutos, eu esqueci de olhar pro horizonte em volta; eu tinha tanta certeza de que tudo tava em ordem e apenas não olhei pros 360º de horizonte que eu tinha em volta do barco.”.

É isso.
Pensando bem, a pior coisa que pode acontecer na sua vida é a calmaria.
Não relaxe. Esteja atento. "Algumas oportunidades são únicas."

______________________

Referência:

“Paratii entre dois polos” – Relato da viagem de 642 dias entre a Antártica e o Ártico a bordo do veleiro Paratii - disponível em <http://www.amyrklink.com.br/pt/livros/> (audiolivro - parte 4) - acessado em 26.05.2016

2 comentários:

  1. O texto me faz lembrar uma conversa que tive há muitos anos com um senhor, por quem eu tinha uma grande admiração. Em um dado momento de nossa conversa, ele disse: "as oportunidades não aparecem duas vezes". Ele tinha razão. Tive algumas oportunidades na vida e, graças a Deus, soube aproveitá-las; outras, porém, deixe passar e lamento. Como não podemos voltar o tempo, só nos resta aprender com os erros e não mais perder as oportunidades que a vida nos oferece.
    Por fim, o texto dá dicas e conselhos preciosos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O pior de perder as oportunidades é que jamais saberemos como teria sido se as tivéssemos aproveitado...
      Já li também que nunca se deve dizer "não" a uma oportunidade antes de ter a certeza de que não se tem nada a aprender com ela.
      De todo modo, até mesmo as oportunidades perdidas, como vc disse, nos ensinam alguma coisa.
      Desejo que você e todos nós estejamos mais ligados!
      Boa semana!!

      Excluir

Participe também, comentando!