terça-feira, 25 de agosto de 2015

REENCONTRO

REENCONTRO
(Por Airton Sousa)

Foi meu amigo Everton Vital quem disse uma vez que “Toda gente é uma mistura e nós somos uma mistura de todas as gentes que passaram pelo nosso coração. A matéria-prima de gente é gente. E a gente vai sendo feita de gente. É nosso jeito ser pegajoso, aderente e assim as pessoas se transmitem, se contagiam e se alteram umas às outras.”.

E foi exatamente no dia 04/07/15 que essas gentes se reuniram para um reencontro depois de trinta anos, lá na Igreja Adventista em Campo Grande, Rio de Janeiro. Veio gente de tudo quanto era canto do mundo - São Paulo, Estados Unidos, África, Paciência... O reencontro foi embalado por abraços, sorrisos, muita emoção, muitas lágrimas, e as lembranças do passado, “quando éramos jovens e sonhadores e corríamos e caminhávamos juntos no Clube dos Desbravadores”, lembranças do “Coral do Basílio”, do “Quarteto Atalaia”, do “Grupo Redenção”, e das poesias de Mário Barreto França, que eram divinamente declamadas pela “tia” Darci, que mais uma vez nos brindou recitando “Moça, me dá uma rosa!”. Nós nos lembramos também dos jogos de futebol aos domingos, e como não era possível divulgar o horário e local do jogo em pleno sábado, era usado um código secreto: “amanhã tem ensaio do coro”.

Essa caminhada durou algum tempo, até que a distância nos separou... até aquela tarde de sábado, que foi uma tarde de trocas, de ideias e pensamentos; uma boa desculpa para pedir um abraço ou um pedido de perdão, pra fazer uma declaração de amor ou um simples agradecimento.

Você, meu querido leitor, tem ideia de como é rever um amigo que você não vê há trinta anos e reparar que a voz é a mesma, o sorriso é o mesmo, só que um pouco mais velho, mais barrigudo?

Agora imagina uma festa em que você pode rever todos esses amigos novamente, e principalmente os queridos que já partiram!
Naquela tarde de sábado, todos nos lembramos do Maurão, que foi um dos ícones da nossa adolescência e juventude e que faleceu há alguns anos. Eu, por exemplo, gostaria de revê-lo, assim como desejo rever meu pai outra vez, ouvir sua voz. Também quero rever fisionomias que nunca esqueci de pessoas que amei... e segurar-lhes as mãos.

Li na minha Bíblia, em Apocalipse 22:1-3, que há um novo céu e uma nova terra sendo preparado para esse grande reencontro:
Então o anjo me mostrou o rio da água da vida que, claro como cristal, fluía do trono de Deus e do Cordeiro, no meio da rua principal da cidade. De cada lado do rio estava a árvore da vida.

Já não haverá maldição nenhuma. O trono de Deus e do Cordeiro estará na cidade, e os seus servos o servirão.

Eles verão a sua face, e o seu nome estará em suas testas.

Não haverá mais noite. Eles não precisarão de luz de candeia nem da luz do sol, pois o Senhor Deus os iluminará; e eles reinarão para todo o sempre.

O convite é estendido a todos: “Aquele que quiser venha! Aquele que tem sede venha e receba de graça da água da vida.”. (Apocalipse 22:17)

Estou fazendo sérios planos para estar presente nesse reencontro.
Encontro você lá!

7 comentários:

  1. Que lindo! Que venha logo este dia!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aquele dia, que ele vai olhar e piscar o olho: Viu eu voltei!

      Excluir
  2. Zé... Vc escreve divinamente e chorei gostoso com seu texto. Nosso reencontro foi perfeito e não canso de imaginar que quando Cristo voltar vai ser mais do que perfeito.
    #Tmj

    ResponderExcluir
  3. Zé... Vc escreve divinamente e chorei gostoso com seu texto. Nosso reencontro foi perfeito e não canso de imaginar que quando Cristo voltar vai ser mais do que perfeito.
    #Tmj

    ResponderExcluir
  4. Reencontros. Esse título já diz tudo. Mas você vem e faz questão de colocar outras palavras, que tocam o coração da gente e nos fazem ansiar ainda mais pelo grande dia

    ResponderExcluir

Participe também, comentando!