domingo, 30 de agosto de 2015

ESQUECENDO E SEGUINDO EM FRENTE



ESQUECENDO E SEGUINDO EM FRENTE
(Por Denize Vicente)

Estou aqui de volta, abrindo esta semana na companhia de Tao-Te-Ching, Alberto Caeiro, T. S. Eliot e Roland Barthes, citados por Rubem Alves, um dos meus escritores prediletos, em seu livro “Variações sobre o Prazer [Santo Agostinho, Nietzsche, Marx e Babette]” - Editora Planeta, 2011.

Alberto Caeiro diz:
“O essencial é saber ver –
Mas isso (tristes de nós que trazemos a alma vestida!),
Isso exige um estudo profundo,
Uma aprendizagem de desaprender...

Procuro despir-me do que aprendi,
Procuro esquecer-me do modo de lembrar que me ensinaram,
E raspar a tinta com que me pintaram os sentidos,
Desencaixotar as minhas emoções verdadeiras,
Desembrulhar-me e ser eu...”

Barthes diz: “(...) periodicamente, devo renascer, fazer-me mais jovem do que sou(...)”.

Tao-Te-Ching diz: “Na busca do conhecimento a cada dia se soma algo. Na busca do Caminho da Vida a cada dia se diminui algo.”.

T. S. Eliot diz: “Num país de fugitivos, aquele que anda na direção contrária parece estar fugindo.”.

O que todos eles nos dizem, no essencial? Qual é a lição deste domingo?
Em poucas palavras eu lhe diria: aos quinze anos você sabe alguma coisa da vida; aos vinte, um pouco mais, mas já é hora de começar a renascer, livrar-se de conceitos e pré-conceitos adquiridos, desaprender certas coisas; aos trinta já aprendeu muito mais do que imaginava, pela experiência e pelo que lhe ensinaram, aprendeu, inclusive, a driblar suas emoções, e então... é tempo de esquecer muito do que foi aprendido. Se você está em busca de aperfeiçoamento, se quer alcançar o Caminho da Vida, seja lá qual for a sua idade, você precisa do exercício de renascer, periodicamente, frequentemente, sempre, mesmo que isso signifique andar em outra direção.

Capriche no desapego, esta semana. Livre-se de tudo o que desvia você do Caminho da Vida. Reaprenda conceitos. Experimente coisas novas. Explore a paisagem em volta do caminho. Leia mais. Escreva um pouco. Compartilhe. Pense junto. Aproxime-se das pessoas. Crie pontes. Desaprenda tudo o que aprendeu sobre construir muros. Esqueça que lhe ensinaram a ter medo de pessoas diferentes. Perceba as semelhanças. Saber ver é fundamental. Desaprenda toda e qualquer lição sobre o desamor. Faça amigos. Esqueça os rótulos.

Gostaria muito que lá pelo meio-dia de hoje você pudesse se olhar no espelho e dizer para si mesmo e para quem mais quiser ouvir: “Estou tentando. Estou começando. Espero conseguir...”.

E desejo, sinceramente, que você tente; que você comece, e que consiga.
Desejo a você uma boa semana. E uma boa vida, sempre renascendo, reaprendendo, esquecendo o que ficou para trás, e seguindo para o que está à frente (Filipenses 3:13-14).

____________________

Referências:

Roland Barthes, Aula, pp.46-47
Fernando Pessoa, Obra poética, pp. 217-226
Tao-Te-Ching, Poema XLVIII

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe também, comentando!