segunda-feira, 4 de maio de 2015

UM OLHAR SINGULAR


UM OLHAR SINGULAR
(Por Sérgio Mafra)

É sempre um exercício interessante quando nos colocamos no lugar do outro em determinadas situações. Isso nos ajuda a olhar e encarar os desafios de maneira diferenciada. De repente, as críticas mudam de tom, a intolerância dá lugar ao respeito, a raiva se deixa abstrair pela ternura.

Ao refletir sobre isso, pensei se não é exatamente esse o papel contínuo das mães. Colocar-se no lugar do filho, filho esse que pode ser de sangue, do amor, do convívio, da escolha. Quando u’a mãe se coloca em nosso lugar, ela é capaz de sentir a nossa dor, sofrer com as nossas angústias e sorrir com as nossas mais simples conquistas. Isso só é possível porque é fruto de um amor abnegado, sem querer nada em troca. Ama porque ama, e ponto final. Como Deus foi bom, ao nos ensinar um pouquinho do seu amor através das mães!
                                                                        
Minha mãe não é muito de internet, só de WhatsApp, mas eu faço questão de imprimir este texto e entregar pra ela. Vou entregar agradecendo, por tantas vezes em que ela se colocou no meu lugar. Sofreu com minhas fraquezas e sorriu com as minhas alegrias. Por tantas vezes em que ela esteve ao meu lado sem nada dizer, ou falando demais, mas ela estava lá, quando a porta se fechou e a luz apagou.

Hoje é só mais um dia comum, mas é também uma excelente oportunidade de agradecermos a quem nos ama como somos, simplesmente porque existimos. Mãe, muito obrigado por estar comigo, sempre!! 

Um comentário:

  1. Beijos pra sua mãe que, tenho certeza, está ao seu lado mesmo, e sempre!
    Beijos pra minha, também, que só é de Facebook... e, mesmo assim, agora nem tanto...

    ResponderExcluir

Participe também, comentando!