quarta-feira, 13 de maio de 2015

PRIMEIRO VOCÊ NÃO VÊ. DEPOIS, VOCÊ VÊ.



PRIMEIRO VOCÊ NÃO VÊ. DEPOIS, VOCÊ VÊ.
(Por Eduardo Santos)

Alguma vez você já desejou escrever uma mensagem com aquelas tintas invisíveis? Eu já! E demorou até eu conseguir. Só aconteceu quando surgiram aquelas canetas acompanhadas por uma lanterna especial que era responsável por revelar a mensagem misteriosa. Depois de bastante tempo, descobri que existem vários meios de fabricar um produto caseiro, com essa finalidade, alguns bem fáceis!

Uma das formas mais famosas é usar suco de limão. Vou dividir o processo em três etapas bem simples:
1. Espremer o limão e recolher o suco em um recipiente;
2. Mergulhar um pincel ou um palito no suco e escrever a mensagem;
3. Esperar secar e aquecer a mensagem.
Bem simples, não é?!

Também podemos pensar em outro método. Você se lembra dos “indicadores”, dos quais falamos há algumas semanas?1 Ao invés de esquentar o papel ao final, podemos também borrifá-lo com um indicador à base de água de repolho roxo. O resultado será sua mensagem com letras em cor alaranjada.

Essa situação de ver coisas que eram invisíveis me lembra de uma história:
Um rei sírio, chefe de Estado de um dos povos mais cruéis de seu tempo, planejava realizar uma emboscada contra o povo de Deus. Em seus momentos de definir as estratégias, determinava em qual lugar disporia seu exército a fim de atacar os israelitas. Mas, por inúmeras vezes, sua emboscada foi malsucedida.

Pensando ele que havia um traidor entre os seus, perguntou quem seria esse que trabalhava para o rei de Israel. Foi quando um de seus servos o informou que o responsável por seu insucesso era Eliseu, “o homem de Deus”.

Rapidamente, Eliseu foi procurado por um enorme exército que cercou sua cidade durante a noite. Ao acordar, o servo do profeta toma um susto ao ver a quantidade de soldados e armamentos posicionados do lado de fora da cidade.

Nesse momento, o servo do profeta lança uma desesperada pergunta: “Ai, meu senhor! Que faremos?” (II Reis 6:15). Eliseu não correspondeu à preocupação de seu servo, disse-lhe que maior era o número dos que estavam com eles (II Reis 6:16). Sua resposta deve ter chocado seu acompanhante, uma vez que este era incapaz de enxergar a multidão que os protegia. Então, o homem de Deus simplesmente ergueu uma pequena prece ao Deus de feitos incríveis: “Senhor, peço-te que lhe abras os olhos, para que veja.” (II Reis 6:17). Em poucos instantes, um número incontável de cavalos e carruagens de fogo pôde ser visto sobre os montes. E, mais uma vez, o ataque foi frustrado.

Essa história me lembra de que, apesar de não conseguirmos ver, nunca estamos sozinhos. Não somos deixados a nossa própria sorte, afinal, existem muitas promessas de que teremos a companhia e o auxílio divino até o fim.

Esse episódio deixa claro que não importa se somos cercados por exércitos grandes ou pequenos, se são cruéis ou não, “mais são os que estão conosco do que os que estão com eles.” (II Reis 6:16).

Ainda que a “tinta” continue invisível, podemos ter a certeza de que “O anjo do Senhor acampa-se ao redor dos que O temem, e os livra.” (Salmos 34:7).

__________________________
Referências:

1- CROMA O QUÊ? Disponível em:<http://entaoserve.blogspot.com.br/>. Publicado em: 29/04/2015. Acessado em: 03/05/2015.


5 comentários:

  1. E é assim que a gente tem a mensagem certa, na hora certa. Obrigada por seu texto animador, Dudu. "Mais são os que estão conosco do que os que estão com eles..."
    Bom dia!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deus nos usa como instrumentos das formas mais inesperadas, mesmo antes de sabermos que a necessidade existe! Como última reflexão: Ainda que estejamos acompanhados de apenas Um, não há necessidade de temer pq mais poderoso é O que está conosco.
      Abraços!

      Excluir
    2. Isso é música para os meus ouvidos...

      Excluir
  2. Respostas
    1. Muito obrigado!! Mais maneiro ainda foi relembrar esses conceitos tanto bíblicos quanto químicos.

      Excluir

Participe também, comentando!