sexta-feira, 27 de novembro de 2015

FRAGILIDADE


FRAGILIDADE
(Por Denize Vicente)

Você, provavelmente, já ouviu os versos de “Epitáfio”:

“Devia ter amado mais
Ter chorado mais
Ter visto o sol nascer
Devia ter arriscado mais
E até errado mais
Ter feito o que eu queria fazer

Queria ter aceitado
As pessoas como elas são
Cada um sabe a alegria
E a dor que traz no coração
(...)

Devia ter complicado menos
Trabalhado menos
Ter visto o sol se pôr
Devia ter me importado menos
Com problemas pequenos
Ter morrido de amor
(...)

Devia ter complicado menos
Trabalhado menos
Ter visto o sol se pôr.” 

Essa música fez enorme sucesso, há alguns anos, e eu suspeito que não apenas por ser cantada por um grupo musical de grande qualidade vocal, mas, sim, porque trata de um tema sobre o qual, uma hora ou outra, mais cedo ou mais tarde, todos nós precisaremos parar pra pensar:
"O que eu estou fazendo da minha vida?".

Muitos outros anos atrás, muitos mesmo, esse questionamento já havia passado pela cabeça de Davi, que também fez uma música sobre o tema. Nela, ele perguntou a Deus: “Ó Senhor Deus, quanto tempo ainda vou viver? Mostra-me como é passageira a minha vida. Quando é que vou morrer?”. Em outra versão, “dá-me a conhecer, Senhor, o meu fim e qual a soma dos meus dias, para que eu reconheça a minha fragilidade.” (Salmos 39:4)

Você se dá conta da sua fragilidade? Sabe que hoje está aqui, mas que amanhã pode não estar mais? Então, que valor tem dado às coisas e às pessoas que realmente importam? Que uso tem feito das palavras? Já aprendeu a estabelecer a diferença entre o essencial e o supérfluo? Tem definido adequadamente suas prioridades?

Por que não amar mais, chorar mais, se aborrecer menos, arriscar mesmo, perdoar de verdade, dar uma nova chance a quem errou... Por que não tentar ser gentil? Por que não sorrir mais, lamentar menos, abraçar mais, reclamar menos... Por que não dar uma ajuda pra ver alguém sorrir de felicidade, por que não sair pra ver o sol nascer e se pôr? Por que, afinal, não se importar mais com os outros - com a criança que chora, com o adulto que sofre, com o idoso que sente dor?

Você se dá conta da sua fragilidade? Por que segue complicando demais, trabalhando tanto, e morrendo de ódio ou de raiva, quando hoje somos e amanhã, quem sabe, já não mais?

“Faze com que saibamos como são poucos os dias da nossa vida para que tenhamos um coração sábio.” (Salmos 90:12)

O pessoal da “HypeScience” divulgou, há alguns anos, os cinco maiores arrependimentos que as pessoas têm quando estão no leito da morte. Elas dizem:

1.    “Eu gostaria de ter tido a coragem de viver uma vida fiel a mim mesmo, e não a vida que os outros esperavam de mim.” 
2.    “Eu gostaria de não ter trabalhado tanto.” 
3.   “Eu gostaria de ter tido coragem de expressar meus sentimentos.”
4.    “Eu gostaria de ter mantido contato com meus amigos.” 
5.    “Eu queria ter me permitido ser feliz.”

Tempo perdido e oportunidades desperdiçadas.

Qual é o balanço que você faz?

“Ensina-nos a contar os nossos dias para que o nosso coração alcance sabedoria.”

Tiago, irmão de Jesus, uma vez falou o seguinte: “Ouçam agora, vocês que dizem: ‘Hoje ou amanhã iremos para esta ou aquela cidade, passaremos um ano ali, faremos negócios e ganharemos dinheiro’. Vocês nem sabem o que acontecerá amanhã! Que é a sua vida? Vocês são como a neblina que aparece por um pouco de tempo e depois se dissipa.”. (Tiago 4:13-14)

Pois é. Tal como neblina.

Assim é a vida.

Aproveite o final de semana para repensar suas prioridades, estabelecer metas, promover mudanças. Comece aos poucos, se for preciso, mas altere o rumo da sua vida; faça uma “desintoxicação”, livre-se dos maus hábitos, crie novos, bons e melhores; tenha entusiasmo; faça o possível para viver em paz e em harmonia com todas as pessoas; sim!, com todas as pessoas. Trabalhe menos, seja fiel aos seus princípios, expresse seus sentimentos, conviva mais com a sua família, com os seus amigos, promova a felicidade – a sua e a do seu próximo...

Viva com consciência da sua fragilidade.

Mas agora livrem-se de tudo isto: da raiva, da paixão e dos sentimentos de ódio. E que não saia da boca de vocês nenhum insulto e nenhuma conversa indecente. Não mintam uns para os outros (...), vistam-se de misericórdia, de bondade, de humildade, de delicadeza e de paciência. Não fiquem irritados uns com os outros e perdoem uns aos outros, caso alguém tenha alguma queixa contra outra pessoa. Assim como o Senhor perdoou vocês, perdoem uns aos outros. E, acima de tudo, tenham amor, pois o amor une perfeitamente todas as coisas. (...) E sejam agradecidos. (...) Cantem salmos, hinos e canções espirituais; louvem a Deus, com gratidão no coração.” (Colossenses 3:8-10, 13-16)

#ficaadica

_______________

Referências:

Epitáfio – Letra e Música: Sérgio Britto. Disponível em http://www.titas.net/discografia/index.php?acao=letra&faixa_id=156&obra_id=133&interface=0&disco_id=13 – acessado em 26.11.2015.

HypeScience - http://hypescience.com/sobre

8 comentários:

  1. Nossa! Essas sua postagem bateu forte em mim. Tem coisas que só Deus entende e faz. Veio no momento certo e, como sempre, clara como você. Obrigada por ser este instrumento de reflexão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada eu, por vc me deixar saber disso.
      Desejo a você uma boa semana. Estabeleça metas e pequenos desafios, trabalhe para alcançá-las e para vencê-los.
      Tenha sempre em mente sua fragilidade. E mantenha o texto de Colossenses 3 na memória.

      Excluir
  2. Esse é o momento em que as lágrimas tomam conta de mim. Volto pra comentar mais tarde.

    Dê, vc sempre com as palavras certas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Su,
      Cante aí, com seu violão: "Quando o sol se esconde e você se sente só..."
      Serei essa amiga, ainda que geograficamente distantes!!
      Boa semana!!

      Excluir
  3. A letra da música e as passagens Bíblicas citadas aqui nos fazem refletir o modo como vivemos; às vezes, deixamos de viver do modo de Deus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é... a gente vai se ocupando com o que não é essencial, perdendo tempo com o que não é fundamental e se distraindo com sentimentos e atitudes que não são valiosos.
      E vai deixando de viver conforme o plano original...

      Excluir
  4. Respostas
    1. Não é plágio; é sintonia!!

      Excluir

Participe também, comentando!