sexta-feira, 15 de julho de 2016

QUEM VOCÊ É?

QUEM VOCÊ É?
Por Denize Vicente

Na semana passada, quando falei sobre cair (ou quase cair) e levantar (ou se reequilibrar), recebi diversos comentários também pelo WhatsApp, todos bem interessantes, e um deles eu vou compartilhar com vocês...

Falava sobre um tombo.
Minha querida leitora, L., contou ter sido testemunha ocular de um tombo da sua professora de canto. Vou situar você: elas estavam no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Tinham ido a um banquete cultural, eu diria. Do nada, a mocinha (a professora de canto) escorregou; nem estava andando! Caiu de costas e não bateu a cabeça no chão porque sua aluna estava ali pertinho, pronta para ser o “braço amigo” na hora da queda. Três detalhes importantes: 1) a professorinha tem 95 anos de idade; 2) a aluna, que a socorreu sem hesitar, sofre de tendinite, e o socorro prestado a impediu de aplaudir o concerto no Municipal, naquela noite, e lhe garantiu dores por alguns dias, não há dúvida; 3) depois que se levantou, sem perder a classe, a “jovem anciã” não fez nenhum drama; culpou o seu sapatinho de cristal, levantou-se “poderosa” e seguiu seu caminho; se fosse um dos amigos de Jó teria boas palavras pra ele, em seu sofrimento - disse-me L.

Eu poderia parar este texto exatamente aqui, porque sei que você pode, sozinho, tirar lições preciosas desta singela narrativa. E eu decidi fazer exatamente isso, então. Mas apenas para impulsionar sua reflexão, vou deixar anotados três pontos:

   há pessoas de 95 anos que vivem produtivamente: ensinam aquilo que sabem, saem para passear, vão ouvir música boa, cultivam suas amizades;
    há pessoas que quando veem alguém precisando de ajuda não pensam duas vezes e se dispõem a socorrer, servir, amparar, reerguer o outro, mesmo que isso lhes custe alguma coisa;
    há pessoas que caem e mesmo que a culpa seja sua (e se a culpa é minha eu ponho em quem eu quiser, diz Homer Simpson) não a colocam em ninguém; no máximo reclamam da calçada, do calçado que estão usando, mas não culpam ninguém; e em seguida se levantam, ainda que precisem da ajuda de um amigo, e seguem.

Que tipo de pessoa você é ou deseja ser?


Peça que Deus lhe dê sabedoria. Porque essa, ao lado da saúde, é a maior bênção que você pode pedir!

Como é feliz o homem que acha a sabedoria, o homem que obtém entendimento, pois a sabedoria é mais proveitosa do que a prata e rende mais do que o ouro. É mais preciosa do que rubis; nada do que você possa desejar se compara a ela. Na mão direita, a sabedoria garante a você vida longa; na mão esquerda, riquezas e honra. Os caminhos da sabedoria são caminhos agradáveis, e todas as suas veredas são paz. A sabedoria é árvore que dá vida a quem a abraça; quem a ela se apega será abençoado. Por sua sabedoria o Senhor lançou os alicerces da terra, por seu entendimento fixou no lugar os céus, por seu conhecimento as fontes profundas se rompem e as nuvens gotejam o orvalho. Meu filho, guarde consigo a sensatez e o equilíbrio, nunca os perca de vista; trarão vida a você e serão um enfeite para o seu pescoço. Então você seguirá o seu caminho em segurança e não tropeçará; quando se deitar, não terá medo, e o seu sono será tranquilo. Não terá medo da calamidade repentina nem da ruína que atinge os ímpios, pois o Senhor será a sua segurança e o impedirá de cair em armadilha. Quanto for possível, não deixe de fazer o bem a quem dele precisa. Não diga ao seu próximo: “Volte amanhã, e eu darei algo a você”, se pode ajudá-lo hoje.

Que tipo de pessoa você é ou quer se tornar?
Pense bem.

2 comentários:

  1. A senhora culpou o sapatinho de cristal, que não pôde se defender (rs), pelo tombo. Mas a melhor parte foi a de sua aluna, que a ajudou prontamente sem medir esforços. "Porque há maior alegria em dar do que em receber" (At 20,35).
    Quero ser como Cristo e fazer o que Ele faria em todos os sentidos. É isso!

    Parabéns pelo texto!

    ResponderExcluir
  2. Boa escolha! Muito boa escolha!

    ResponderExcluir

Participe também, comentando!