segunda-feira, 4 de julho de 2016

A HUMILDADE

A HUMILDADE
Por Sergio Mafra

Uma das lições mais importantes que se aprende ao ler qualquer livro sobre liderança é a humildade. As atitudes de um diretor que ouve seu subordinado na empresa são exaltadas, um rei ou governante que atende aos governados são posturas vistas como essenciais; um líder que exerce sua liderança também de acordo com as necessidades dos seus liderados é modelo.

Se você, assim como eu, não é rei nem governante de um país, estado ou cidade, também não é diretor de uma grande empresa nem mesmo é presidente da associação de moradores do seu bairro, pode estar se perguntando: “o que esse texto tem haver comigo?”. A resposta para você é: Tudo. A humildade é uma lição a ser aprendida e aplicada nos mais diversos aspectos da nossa vida. Nos nossos relacionamentos interpessoais, com nossos vizinhos, amigos, namorados(as), cônjuge, filhos, parentes. A humildade deveria ser um balizador das nossas ações. Não é preciso ler, apesar de muito recomendado, “O Monge e o Executivo”, assim como tantos outros bons livros para entender a essencialidade da humildade. Há muitos anos, o grande Mestre Jesus Cristo deixou isso bem explicitado em vários textos, parábolas e ações. A humildade, efetivamente, fez parte do ministério de Jesus nesta Terra. Por que ele precisou enfatizar tanto esse aspecto? Talvez porque soubesse o quanto nós tendemos a deixá-lo de lado; o quanto somos tentados a ser orgulhosos, egoístas e presunçosos.

 
Não é fácil ser humilde, é difícil pra caramba pedir perdão, mais difícil ainda é perdoar. Sair da nossa zona de conforto, ir até o próximo desconhecido, ajudar a quem precisa de uma palavra, são atos que pesam em muitas consciências e Jesus sabia disso. Ele vivia em uma sociedade cheia de regras (eram milhares), mas viveu o amor a Deus e ao próximo. “Bem aventurados os humildes, pois eles receberão a terra por herança.” Mateus 5:5 é uma promessa e tanto: possuir a terra! Daí podemos presumir a importância da humildade. Jesus falou e abençoou pessoas renegadas e rejeitadas, excluídas socialmente. Jesus ensinou e praticou o perdão, o amor e a bondade.

 
Mas como colocar todas essas coisas em prática se o nosso “eu” nos diz exatamente o oposto? Uma curiosidade, falando em reis, é que, em regra, ninguém pode tocar a rainha Elizabeth da Inglaterra. Mas a notícia boa é que podemos tocar o nosso rei celestial, não com mãos humanas, mas por meio da oração e da comunhão com Ele. Tenha certeza, Ele pode tornar a humildade uma realidade em nossa vida. Tenho certeza de que, a partir daí, experimentaremos, assim como todos que nos cercam, outro jeito de viver e encarar o mundo.

Grande abraço e boa semana!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe também, comentando!