quinta-feira, 7 de julho de 2016

QUEM É VOCÊ?

QUEM É VOCÊ?
Por Carina Baptista

Oi pessoal, tudo bem??

Muitas coisas podem acontecer numa viagem de ônibus, inclusive ter ideia para textos. Eu já disse isso aqui e repito: é incrível como podemos aprender com pequenas coisas; algumas que podem até passar despercebidas para muitos.

Como eu disse, eu estava no ônibus; uma viagem curtinha. Sentada na janela, como de costume, observava as coisas passarem. O ônibus parou no sinal. Ainda olhando para fora, vi numa loja de material de construção. Duas portas expostas para venda; elas tinham placas que diziam: "Argamassa R$..." e "Cimento R$...". Achei aquilo engraçado e então me veio um assunto que poderia ser discutido, para conhecimento.

O objeto que eu vi era uma porta. Se eu fosse uma compradora em potencial para aquelas portas, eu teria ficado bastante chateada por não ter, na placa, o preço do objeto no qual ela estava fixada e, sim, o preço de outro item. Aquela placa estava cumprindo seu papel de informar o preço; o único problema é que, teoricamente, estava no objeto errado.

Como tenho mente de publicitária e uma facilidade aguçada para "viajar na maionese", rapidamente relacionei a "placa do preço errado" a nós!! Siiim, você pode estar sendo uma porta com a placa errada ou uma placa presa no lugar errado. Vamos arrumar essa bagunça que é meu raciocínio para todo mundo entender onde quero chegar. Se não funcionar, vamos marcar um chá da tarde que eu terei o maior prazer em conversar pessoalmente. =)

Vamos definir como "porta" todas as pessoas do mundo. Cada porta tem seu jeitinho, e existem muitas portas diferentes. E entendamos como "placa" tudo que externalizamos; o que as pessoas veem em nós. Então, se somos "portas", mas nossa placa diz "argamassa", tem alguma coisa estranha, não é mesmo? E mais: se o preço anunciado é de um produto de valor inferior, ainda corremos o risco de sermos "comprados" por menor preço, apenas porque demonstramos ser algo que, na verdade, não somos.

Não adianta sabermos que somos porta se tudo que indica o que somos diz outra coisa. Esse assunto é um pouco complicado porque tem vários fatores a se considerar, no entanto podemos simplificar, pensando que temos liberdade de aparentar ser o que quisermos, mas que isso não terá valor nenhum se não refletir quem realmente somos.

Viver com uma máscara é trabalhoso e não traduz o que Deus quer para seus filhos. É muito mais autêntico sermos a melhor versão de nós mesmos. Devemos aproveitar que, ao contrário de objetos inanimados, nós fomos criados com personalidade e potencial para mudar o que não gostamos. Não é fácil, a gente sabe, mas ainda bem que não é impossível.


Certa vez eu li essa frase: "As aparências enganam, mas a culpa é do observador". Infelizmente, estamos sujeitos a "avaliações equivocadas" por parte de terceiros, tanto para o bem quanto para o mal, mas o que eu realmente quero que você pense é se está transmitindo aquilo que você, de fato, é.


Minha dica de hoje é, na verdade, um convite ao autoconhecimento! Que você se olhe no espelho da alma com amor e retire tudo aquilo que não traduz o seu verdadeiro valor.
Depois me conte como está se sentindo!

Um beijo e até semana que vem!


2 comentários:

  1. Intrigante e boa comparação.
    Assim como a porta pode estar ou não aberta. Nossa mente também tem que estar. Não que isso tenha algo com o relacionado ao texto. Mas achei importante ressaltar rsrs

    ResponderExcluir
  2. Huuuummmm... sinto-me bem.
    ;)

    ResponderExcluir

Participe também, comentando!