terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

NA TEMPESTADE


NA TEMPESTADE
Airton Sousa - Paciência – Rio de Janeiro

Seu nome estava na minha lista de prioridades Assim que fosse a São Paulo almoçaria com o Wagner. Esse almoço nunca aconteceu, pois demorei a ir a São Paulo. Wagner morreu em novembro de 2016.

Um mês antes, Wagner mandou uma mensagem dizendo que tinha parado de beber, que tinha arrumado um emprego e que estava bem com sua família; e que só faltava eu por perto para presenciar seu novo momento de vida.

Depois fiquei sabendo que ele não conseguiu manter-se sóbrio nem conseguiu se afastar das confusões por muito tempo. Passado alguns meses e poucos dias, ele já estava novamente envolvido em suas tempestades pessoais, talvez criadas por ele mesmo. E numa dessas noites de muito álcool sua vida foi interrompida bruscamente.

Realmente eu não entendo. O corpo de Wagner foi reconhecido por acaso, no IML, seis dias após sua morte.

Acabei de chegar da reunião da base G148 (G148 é o nome do grupo de jovens do qual eu participo, na minha igreja) e conheci uma moça que tentou o suicídio nesta semana... Ela me contou das suas tragédias e medos e descreveu seus momentos de desespero. Eu orei com ela.

Para todos os lugares por onde olho estão acontecendo essas tempestades pessoais. Jovens morrendo, adolescentes tentando o suicídio, corações quebrados, noites solitárias. Vidas se despedaçando, todos numa competição barulhenta.

Foi numa dessas tempestades que, confuso, Wagner olhou para um lado e para outro e se perdeu no caminho, caindo do penhasco direto para a escuridão da morte. No meio dessas tempestades Juliana tenta se salvar, ainda que de um jeito triste e inseguro, mas hoje eu pude lhe falar que Deus acalma qualquer tempestade.

Você lembra quando Jesus acalmou uma tempestade? As ondas eram imensas, encobriam o barco assustando os próprios discípulos - logo eles, pescadores profissionais acostumados às grandes tempestades em alto mar. Dessa vez não era uma tragédia qualquer. Era uma catástrofe tremenda da qual eles não tinham certeza se sairiam com vida.

Jesus estava dormindo na parte traseira do barco, com a cabeça numa almofada. Então os discípulos o acordaram e disseram:
— Mestre! Nós vamos morrer! O Senhor não se importa com isso?
Então Ele se levantou, falou duro com o vento e disse ao lago: 
— Silêncio! Fique quieto!
O vento parou, e tudo ficou calmo.
Aí ele perguntou: 
— Por que é que vocês são assim tão medrosos? Vocês ainda não têm fé?

É preciso crer que Deus acalma as tempestades. Ele fará o que for preciso pra que estejamos seguros. Sua bondade não tem fim, seu amor é sem limites.

Eu preciso dizer isso a você, antes que você se envolva demais com o perigo.

Jesus Cristo é a maior chance.


Ele conduzirá você no meio da sua tempestade, Ele acalmará sua noite mais escura e aquecerá você no seu dia mais frio.

Perdi um amigo, mas existem ainda muitos outros se debatendo em meio às águas tumultuadas desta vida. Para cada um deles, eu gostaria de dizer: Confia em Deus.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe também, comentando!