segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

UMA EXPERIÊNCIA REAL COM DEUS


UMA EXPERIÊNCIA REAL COM DEUS
Maria Paula Guimarães - Niterói – RJ

Niterói é linda. Tem belezas naturais e também tem aquelas construídas por homens. Tem um ar contemporâneo misturado com o tradicional, vintage. Caminho pela orla de Icaraí em direção ao MAC (Museu de Arte Contemporânea), o disco voador niteroiense. Vou pensando sozinha. Perdida nos meus próprios pensamentos. Lembro que tenho que escrever pro blog. Ih, o blog! É verdade! Tenho que escrever pro blog. Penso sobre o quê. Nada me vem. Continuo andando.


Sabe, mais do que pensar à toa – vou subindo o calçadão que leva ao MAC -, eu queria mesmo era ter uma experiência real com Deus. Aquele Pastor me disse que eu deveria ser missionária. Disse que eu tenho esse dom. Disse que está em mim – olhando para a baía, vejo o Rio, paro. E rio. (Ser) missionária não tem nada a ver comigo. Mas, realmente, seria um ótimo jeito de ter uma experiência real com Deus. Meio do mato; gente nada a ver; o sofrimento humano. Acho que são essas as coisas que tocam a alma.

Vou subindo, suando. Suor dentro da meia é horrível. Queria tirar o tênis! Mas a experiência com Deus... Era sobre isso que eu pensava. Não se perca, Maria! Já ouvi tantas histórias incríveis! Por que não eu? Também não sei. Talvez eu precise ir até o meio do oceano. Ficar sozinha com um tigre. Eu, o tigre, o mar. E Deus. Porque Ele sempre está lá. Você já viu esse filme? “As Aventuras de Pi”. Veja. Veja, sim. Enquanto você pensa se vai assistir ou não, eu penso no filme que eu queria protagonizar: “As Aventuras de Maria”. Preciso experimentar o sobrenatural. Preciso mesmo. Sentir Deus de um jeito único, impressionante, arrepiante e individual. Algo que seja inexplicável e incontestável ao mesmo tempo, como toda boa experiência particular.


Diminuo o ritmo dos passos. Já estou quase chegando onde queria. A astronave de ETs, que é cartão-postal desta cidade, está logo à frente. Lembro-me do que ouvi de um amigo colportor*. Ele me disse que eu deveria pedir a Deus para ter uma experiência real com Ele. Então pedi. E continuei subindo. Cheguei. Sentei no chão, à sombra do MAC. Que delícia! Enquanto o dia ia embora e o vento soprava tão agradavelmente, eu, sentada ali, realizei que aquela era a minha experiência com Deus. E era real. Porque era só minha. Acontecia dentro de mim. Enquanto caminhava, eu experimentava Deus.


Não duvido que Ele possa se manifestar de maneira sobrenatural. Mas a experiência com Deus talvez seja essa jornada de descobertas que, pelo Espírito Santo, nos são reveladas. Os milagres que não vemos; a bênção de estarmos vivos; o amor que, de graça, recebemos de nossos queridos. Talvez não seja um fenômeno pontual. Talvez aconteça todos os dias. Ele se revela através de Sua Palavra, quando eu a leio e ela transforma o meu coração... C.S. Lewis reflete que se há em nós desejos que não podem ser satisfeitos por nada neste mundo, é porque talvez não tenhamos sido criados para ele. Fomos criados por Deus e para Deus. E Ele é muito maior do que todo este mundo. Eu O sinto. Ele vive em mim e me transforma. Sim, eu tenho uma experiência real com Ele. Todos os dias.

_________________________

Referências:

* col·por·tor |ô|
(francês colporteur)
substantivo masculino
Pessoa que vende ou distribui mercadorias de porta em porta, geralmente livros religiosos.
(Priberam Dicionário)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe também, comentando!