sexta-feira, 15 de abril de 2016

SEJA QUAL FOR O SEU TIME...


SEJA QUAL FOR O SEU TIME...
Por Denize Vicente

O ser humano é um cabra bom de manias.
Uma delas, de tão comum, atinge a quase totalidade dos mortais: a gente tem a mania de olhar pro outro com certo desdém e menosprezo ou com algum ar de superioridade quando se trata de analisar uma sua característica que achamos feia, errada ou ruim, desde que nós também não a tenhamos.

Vamos falar em termos práticos: Mariazinha fala alto.
- Ai, que horror! Mariazinha fala alto demais, não se toca de que estamos na igreja!

Joãozinho come muito.
- Caramba! Joãozinho vai explodir qualquer dia! Tá precisando de um Nutricionista ou de um esparadrapo na boca.

E seguimos assim, ou porque falamos baixo, naturalmente, ou porque seguimos um regime alimentar exemplar que nos garante saúde e boa forma física, e, em ambos os casos, porque temos um sentimento de orgulho por não ser daquele jeito que o outro é. 

E geralmente julgamos seus motivos; nós o ridicularizamos, o esmagamos com nossa censura e até discutimos com ele.

Hoje eu quero lhe apresentar Tomé.
- Afff! Aquele cara que só acredita vendo. Tsc, tsc, tsc...

Tomé vinha ouvindo, já havia alguns dias, que Cristo ressuscitara; mas tinha lá suas dúvidas. Tinha algumas provas, também, mas era meio cético com esse lance de Jesus ter ressuscitado. Contribuía pra esse ceticismo certo ciúme, uma espécie de orgulho ferido – afinal, só de pensar que o Mestre havia Se revelado a todos os discípulos menos a ele... ah... melhor nem pensar!

Os discípulos começaram a se reunir às noites, no cenáculo; Tomé nunca estava. Tomé não estava lá na reunião quando Jesus apareceu pra eles (Lucas 20:24)... Agora estava mesmo decidido a não crer, e ficou uma semana inteirinha falando “pruzamigos”, repetidamente: "Se eu não vir o sinal dos pregos nas mãos dele, e não tocar ali com o meu dedo, e também se não puser a minha mão no lado dele, não vou crer!" (João 20:25)

Uma noite, decidiu ir à reunião. No fundo, no fundo, como amava o Mestre, tinha um pinguinho de esperança de que aquilo fosse mesmo verdade. E então, enquanto estavam lá jantando e conversando sobre profecias, sobre a vida de Jesus... aconteceu!!

"Chegou Jesus, estando as portas fechadas, e apresentou-Se no meio, e disse: Paz seja convosco." (João 20:26). Olhou pra Tomé e mandou na lata: “Coloque o seu dedo aqui; veja as minhas mãos. Estenda a mão e coloque-a no meu lado. Pare de duvidar e creia.” (João 20:27).

Imediatamente depois de dar boa noite pra geral, Jesus, de cara, mostrou-se para Tomé. E permitiu que ele lhe tocasse as marcas nas mãos. Tomé, livrando-se de seu ceticismo sincero, reconheceu o Mestre: "Senhor meu, e Deus meu!". (João 20:28)


Você já entendeu onde eu quero chegar?
Se não, siga o roteiro:

1)  Ninguém poderia ter contado pro Mestre o que Tomé andava dizendo, pois já havia uma semana que eles não viam Jesus; então, tá na cara que Jesus conhecia os pensamentos e as palavras de Tomé;
2)   Jesus não ridicularizou Tomé por isso; “Jesus não esmagou a Tomé com censuras, nem entrou com ele em discussão”*;
3)   Jesus nos dá uma liçãozinha singela e fundamental: é assim que se trata quem tem menos fé do que vocês; amor e consideração derrubam barreiras; “raramente se vence a incredulidade pela discussão."*;
4)  Jesus deu um toque em Tomé; e sabendo que um dia muitas pessoas estariam perdendo a fé porque não poderiam ver nem tocar as feridas nas Suas mãos, deixou uma dica pros que viriam depois dele: “— Você creu porque me viu? — disse Jesus. — Felizes são os que não viram, mas assim mesmo creram!” (João 20:29).

Não sei a qual grupo você pertence, não sei qual é o seu time - o dos céticos sinceros ou o dos homens de muita fé -, mas o texto de hoje é um recado pra você, onde quer que você esteja. Se for preciso, releia até (se) encontrar.


___________________________

Referência:
* O Desejado de Todas as Nações - cap. 84, p. 808 - disponível em http://ellenwhite.cpb.com.br/livro/index/4/802/808/paz-seja-convosco - acessado em 13.04.2016.

11 comentários:

  1. Respostas
    1. Que a gente cresça, sempre.

      Excluir
  2. Que Deus continue te usando a cada dia mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Paulinho!
      Que a gente se deixe usar, todos os dias!!

      Excluir
  3. Que Deus continue te usando a cada dia mais.

    ResponderExcluir
  4. Eu sou como Tomé. Creio porque vi e vejo o tempo todo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, Airton... o tempo todo. O tempo todo!
      ;)

      Excluir
  5. Engraçado, João... Quando acabei de escrever, relendo pensei: cara, esse texto tá na coluna errada!
    (Mas Tomé até que teria muitas curtidas no seu perfil.)
    Rsrsrs
    P.S. É um tremendo elogio mesmo! Obrigada!
    :))

    ResponderExcluir
  6. Realmente não precisamos ver pra crer em relação a tudo que Deus nos provê e diz.
    Mas acreditar no homem... Tá difícil! Não é mesmo? Por isso precisamos nos apoiar no alicerce da palavra Dele!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É... Sobre confiar nas palavras e promessas dos homens... Isso daria um outro post, Jacqueline. Rs

      Excluir

Participe também, comentando!