sábado, 30 de abril de 2016

INUSITADO

INUSITADO
Por Jackson Valoni

No segundo andar do Madureira Shopping tem um cinema, e foi lá que, um dia, eu e minha mãe decidimos assistir um filme. Tínhamos apenas duas opções: “Vida de Inseto” ou “O Príncipe do Egito”. E claro que eu pedi pra ver “Vida de Inseto”. Filme de Bíblia não tava com nada.

Quando eu via Jesus na televisão, Ele tinha olhos claros, nariz fino, cabelo liso e sempre penteado. Esses filmes da Bíblia eram meio arrastados, pra mim. Minha referência sobre filmes bíblicos não era boa. Se fosse pra ouvir "historinha de Jesus", que fosse na escolinha dos primários da igreja que eu frequentava no Barata, em Realengo.

E eu cresci ouvindo que Jesus está voltando, mas não entendia pra onde Ele tinha ido. E aprendi que os mandamentos que Deus nos deixou são importantes para a gente se dar bem aqui na Terra. Embora não discorde de nada do que aprendi e sobre o que tenho estudado na religião que escolhi seguir - e seria incoerente permanecer numa religião que vá contra o que eu encontro na Bíblia - não duvido que Deus use pessoas que não pertencem à mesma denominação religiosa que a minha.

Se penso que as obras de Beethoven e Handel não vêm de inspiração divina; que Madre Teresa de Calcutá não praticou sua vida de abnegação influenciada por propósitos cristãos; que igrejas que se encontram em presídios, e transformam a vida de seus detentos, não são usadas por Deus, então eu sou uma pessoa egoísta.


"Tenho ainda outras ovelhas que não são deste aprisco; a essas também me importa conduzir, e elas ouvirão a minha voz; e haverá um rebanho e um pastor." João 10:16
  

A igreja que agrada a Deus é uma igreja que age, vibrante, que integra e não teme dizer sobre a Verdade, ainda que a verdade da Terra seja mutável. Deus é apenas um, e eu não estou falando nada a respeito de sincretismo religioso, que é uma perigosa filosofia para o cristianismo genuíno.

Que Deus fortaleça nossa fé nEle, e que saibamos encontrar as mãos de Jesus até mesmo nos meios mais inusitados, onde o corporativismo religioso veda as oportunidades do aprendizado sobre o Evangelho.
Amém.


2 comentários:

  1. Vc me lembrou do Luiz Cláudio e do Victor Viana cantando...

    Já faz muito tempo eu comprei uma igreja
    A preço de sangue, e a preço de dor
    Já faz muito tempo enviei o meu filho
    Para resgatar o que se perdeu
    Já faz muito tempo que estou desejando
    Essa humilde entrega de um adorador
    Que só se incline ante a minha presença
    E não nas ofertas de uma posição
    Já faz muito tempo que estou desejando
    Que mostre ao mundo a imagem do amor
    Que não se confunda entre tanta gente
    Que seja distinta como eu sou
    Que não se divida como muitas vezes
    Entrando em contendas e discussões
    Buscando alcançar ser melhor do que o outro
    Se no universo o grande Eu Sou
    Eu quero uma igreja que me dê a glória e procure a união

    Eu quero uma igreja que sare ao ferido
    Que rompa as correntes liberte ao cativo
    Que aclare a mente que está confundida e que fale a verdade
    Eu quero uma igreja que com seu olhar
    Mostre a esperança à alma angustiada
    Eu quero uma igreja que sare a ferida dessa humanidade

    Eu quero um rebanho em que minhas ovelhas
    Se sintam seguras e cheias de paz
    Onde a palavra seja o alimento, ali quero morar

    Eu quero uma igreja que com seu louvor
    Perfume o meu trono dando-me esse lugar
    Igreja que saiba fazer diferença entre o bem e o mal
    Onde está a igreja que foi perdoada
    E libertada do castigo atroz?
    Aquela que vê o que está caído
    E estende a mão e concede o perdão?
    Igreja, desperta!, chegou o momento da redenção.

    ResponderExcluir
  2. Bom texto.
    E o cinema, se já não era antes, agora é no quarto andar.

    ResponderExcluir

Participe também, comentando!