segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

UMA NOVA CHANCE


UMA NOVA CHANCE
Por Sérgio Mafra

Virar um ano nem sempre é fácil e o que passou foi, verdadeiramente, marcante. Em 2015 tivemos nossa economia em forte recessão, bolsa de valores em constante queda, dólar superando os R$4,00, escândalos de corrupção que entrarão para a História, Governo inerte junto a um Congresso, vergonhosamente, paralisado, ouvimos como nunca sobre o temido Estado Islâmico, o surgimento do zika vírus e o terrorismo ainda mais cruel. O ano também foi marcado por despedidas, muitas vezes até precoces, onde demos adeus a personalidades nacionais, internacionais e também a amigos pessoais. Eu me despedi da doce e querida Beth, entendendo que neste mundo estamos, constantemente, sujeitos a dores e sofrimentos.

Mas 2015 também teve suas alegrias e nele percebi e vivenciei o amor em suas mais ternas expressões, tive o prazer de testemunhar como padrinho a união de um grande irmão, de celebrar nascimentos e renascimentos, pude ver quem há tempos vivia a desilusão se apaixonar e novamente sorrir, vi minha mãe celebrar mais um ano de união com o Wilson, minha prima Briza se formar, minha faculdade terminar, venci no exame da OAB, percebi que o amor é, efetivamente, capaz de superar distâncias, diferenças e idade. Reforcei alguns valores e conceitos, dentre eles o do respeito ao próximo, a fé em Deus e a certeza de que o amor jamais acaba. Presenciei algumas declarações de amor apaixonadas e belas, muitas delas voltadas a nossa cidade que, a despeito das dificuldades, completou 450 anos e continua maravilhosa. Rio que encanta, que acolhe, que une o morro ao asfalto, o subúrbio à central e a zona norte à zona sul. Nossa cidade que recebe a todos com seus cartões postais tradicionais e também com os novos: parque radical em Deodoro, Parque de Madureira, praia em Rocha Miranda e o Museu do Amanhã que faz a Praça Mauá e o Porto serem redescobertos.

Mas o meu canto favorito nesta grande e intensa cidade é um apartamento com parede colorida, quadros e fotos, com o qual divido meus dias entre o trabalho, as viagens, sempre menores do que eu gostaria, as folgas ensolaradas, as reuniões de família, o bate papo com os amigos, o estudo e os momentos de esperança que já despontam em 2016. Que comece um novo ano, repleto de chances e oportunidades de vivermos, aprendermos, cairmos e levantarmos, um ano para sermos novamente felizes.


2 comentários:

  1. Lindiiiissimo texto, Sergio!! Feliz ano novo!! :)

    ResponderExcluir
  2. Que esse ano seja o ano do renovo! Ótimo texto!

    ResponderExcluir

Participe também, comentando!