terça-feira, 4 de outubro de 2016

COMO FOI QUE PAREI DE FUMAR EM 4 DIAS – 1º dia



Desde 2013 eu não fazia exames médicos. Então resolvi, no mês passado, fazer um check up geral. Pedi para o médico solicitar todos os exames possíveis.
Ele me perguntou:
 
- Você fuma?
- Não, doutor. Eu parei de fumar!

A resposta do médico foi surpreendente:
- Você não imagina como eu fico feliz por essa decisão sua.

Como assim? Ele nunca me viu nesta vida, e está dizendo que ficou feliz por minha decisão.

Fiquei tão impressionado que decidi escrever uma sequência de textos contando, para você que fuma, e que, provavelmente, eu também nunca tenha visto, como foi que parei de fumar. E se você parar também eu vou ficar imensamente feliz pela sua decisão, mesmo sem nunca o ter visto.




COMO FOI QUE PAREI DE FUMAR EM 4 DIAS – 1º dia
Por Airton Sousa

O orador iniciou às 19h30 em ponto e pediu que cada um de nós se apresentasse. Éramos mais ou menos 10 pessoas, todas fumantes.

- Olá, meu nome é Airton e eu fumo há 25 anos. Não estou convicto tanto assim que eu vá conseguir parar de fumar. Eu tentei várias vezes, mas confesso que nunca fiquei um dia sequer sem fumar. Comecei fumando Marlboro, considerado o mais forte de todos, depois baixei o nível para o Hollywood azul, que era bem mais fraco, mas tinha um gosto de barata e até cheiro de rato. Por ser mais fraco eu não ficava satisfeito com um cigarro apenas. Era um atrás do outro.

“O consumo de cigarro causa cerca de 50 tipos de doença.

O cigarro causa impotência sexual no homem e no caso das mulheres traz complicações na gravidez, além disso ele provoca aneurismas arteriais; ulcera do aparelho digestivo, infecções respiratórias.

O hábito de fumar enfraquece o cabelo e faz secar a pele, reduz o paladar.

Quando o fumante dá uma tragada, a nicotina é absorvida pelos pulmões, chegando ao cérebro em nove segundos.

O cigarro também é prejudicial para quem convive com o fumante e causa doenças imediatas ou a longo prazo. O tabagismo passivo é a terceira maior causa de morte inevitável no mundo.


Crianças expostas à fumaça do cigarro têm maior risco de morte súbita, bronquite, pneumonia, asma.

O número de informações e imagens foram assustadores. Todos estamos assustados. O orador diz, então:

- Sua esposa, ou esposo, seus filhos, seus pais, seus amigos podem pedir e até mesmo implorar para que você pare, mas a decisão de parar é sua.

A palestra terminou e foram dadas dicas de exercícios, orientações para beber muita água, tentar fumar menos e voltar na noite seguinte.

Mas eu estava louco pra fumar. Corri para casa e ainda havia alguns cigarros no maço. Enquanto a fumaça subia, eu pensava: não vou conseguir parar de fumar... 





Série completa:
DIA 1 - CLIQUE AQUI
DIA 2 - CLIQUE AQUI
DIA 3 - CLIQUE AQUI
DIA 4 - CLIQUE AQUI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe também, comentando!