domingo, 2 de outubro de 2016

ERROS



ERROS 
Por Pamela Henriques Moreira

Éramos duas!
Minha mãe sempre dizia: "Éramos seis e não acontecia isso.". Na hora vinha entre os dentes que "Éramos seis" era uma novela do SBT.

Quando criança, eu e minha irmã brigávamos demais. Era uma loucura! Sem falar da vez que ela tentou me "matar": eu recém-nascida e ela com seus 2 aninhos de idade - uma distração, momentos de silêncio e uma tesoura apontada para meus olhos. A coisa já pegava desde o berço. Graças a Deus crescemos e amadurecemos!

Imagine se fôssemos seis? Rs


Enquanto arrumava minha mudança, deparei-me com o quadro de assinaturas que eu e meu marido colocamos em nosso casamento. Alguns convidados resolveram deixar curtas mensagens, das mais variadas: “Felicidades”, ”Pam + Jack”, “Adoro vocês”, "Quero neto" e até um “Deus ajude”.

O que me fez escrever hoje foi uma mensagem em especial, embora o “Deus ajude” tenha me feito refletir e até rir um pouco, já que imagino o ar de desespero de quem escreveu. rs

Que saibam perdoar um ao outro.”, disse uma tia de meu marido.

Essa frase mexeu comigo porque é certo que um casamento tem altos e baixos, desentendimentos por motivos diversos. Assim como no casamento, todos os relacionamentos pessoais também têm suas oscilações.

Quem nunca se estressou ou se desentendeu com alguém? Quanta mágoa não carregamos por brigas, às vezes até insignificantes para aqueles que as veem de fora?

Por que pedir perdão ou perdoar? Na famosa oração do Pai Nosso, Jesus nos mostra o porquê do perdão. Assim como Ele, que carregou a cruz para nos dar a Salvação, perdoando os nossos pecados, devemos também perdoar nosso próximo.

“(...) e perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós também temos perdoado aos nossos devedores.” Mateus 6:12

Quando estamos cheios de raiva ou achando que alguém está em dívida conosco, nosso coração não se aquieta. Talvez julguemos que os pecados cometidos contra nós sejam maiores do que os cometidos por nós contra outras pessoas, mas assim como quando nos arrependemos de nossos pecados e necessitamos da libertação de nosso erro, devemos estendê-la aos demais.

“Se o seu irmão pecar, repreenda-o e, se ele se arrepender, perdoe-lhe. Se pecar contra você sete vezes no dia, e sete vezes voltar a você e disser: ‘Estou arrependido’, perdoe-lhe." Lucas 17:3

É difícil reconhecer nossos erros perante as outras pessoas, mas o perdão só vem através do arrependimento, a certeza de que nossa atitude causou um mal. O perdão - não se trata de tolerar e permitir o pecado, nem mesmo de "jogar na cara" o tempo todo o mal feito, mas, sim, de misericórdia.

Peço a Deus que eu esqueça eventuais mágoas e aprenda a perdoar aqueles que, a meu ver, tenham me atingido. Que eu também possa identificar meus erros, porque sei que não sou perfeita, para pedir perdão àqueles que ofendi, fazendo, assim, a vontade dAquele que deu a vida por mim, por você, por todos nós.

Amém!


2 comentários:

  1. Libertador. O perdão quebra o ciclo sem fim da vingança.

    ResponderExcluir
  2. Exatamente, Lucas! Ótima colocação!

    Vejo o perdão como um presente de Deus, estendido ao perdoado e ao perdoador.

    ResponderExcluir

Participe também, comentando!