sábado, 10 de junho de 2017

TEATRO


TEATRO
Jackson Valoni - Angra dos Reis/RJ

Durante minha viagem de lua de mel, eu quis impressionar minha esposa.

Veja bem, estávamos na Itália e fizemos um tour pelo país. Nossa primeira parada foi Milão e eu precisava ir ao “Teatro alla Scala” antes de partir para Verona, cidade conhecida por ambientar a história de Romeu e Julieta. Mas vamos ficar no papo do teatro de Milão.

O “Teatro alla Scala” é bonito pra caramba (um monte de elogio), e eu queria viver aquele lugar com minha esposa. Procurei saber o valor do ingresso; quando soube que em determinado horário vendiam ingressos mais baratos, pensei na hora: “Isso é coisa de Deus! Obrigado, Senhor!”. Mania de ver a providência de Deus em tudo, sabe? Chegamos ao lugar onde o ingresso mais barato era vendido. Uma fila que rodeava o teatro, e ainda tínhamos que pegar uma senha. Esperamos quase uma hora. Chegou nossa vez de comprar os ingressos. Custou € 13,00 (mais ou menos 52 reais) cada um. Entramos no teatro e eu pensei: “Valeu a pena esperar!”.

Preparativos para a peça que fomos ver


Nossos assentos ficavam no balcão nobre do teatro. Não poderia ser melhor! Eu e minha esposa em lua de mel na Itália assistindo a uma ópera num teatro superelegante! Estávamos atentos à localização do assento e, curiosamente, parecia que todas as pessoas que faziam parte daquela fila (que rodeava o teatro do lado de fora) iriam sentar na mesma ala que nós.

Caro leitor, o “balcão nobre” ficava no último andar do teatro. E minha vaga, especificamente, não dava pra ver o palco, apenas os refletores que o iluminavam. Ficamos em pé durante os primeiros 15 minutos até que falei com um funcionário do estabelecimento para nos trocar de lugar. O pedido foi prontamente atendido. Fomos realocados em frente ao palco, no balcão principal, em pé.

Olha onde ficamos!


A experiência foi tão ruim que saímos muito antes da ópera terminar. Fomos embora do teatro e Pamela não quis ouvir mais nenhuma sugestão de passeio da minha parte, pelo menos naquele dia.

Mas éramos nós dois, um casal, vivendo, e aquilo era o bastante. Tiramos selfies, rimos da situação, lamentamos os 100 reais perdidos no teatro e fomos comer pizza.

“Acima de tudo, porém, revistam-se do amor, que é o elo perfeito.” Colossenses 3:14

Que o amor permaneça sempre, que as brigas dos casais terminem em pizza, que os eventos lotados sejam pretexto para mais abraços, que a dor da saudade e da distância seja compensada por fotos, mensagens, recados e promessas.

Lustre central do Teatro



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe também, comentando!