segunda-feira, 5 de junho de 2017

MURINHO DA HONESTIDADE



MURINHO DA HONESTIDADE
Denize Vicente – Cidade Maravilhosa e Honesta/RJ

Escândalos todos os dias. Festival de corrupção e malandragem. Mas ainda tem muita gente honesta por aí. E por aqui também. Sim, no Brasil. Quer ver?

Já ouviu falar no “murinho da honestidade”? Se você estuda na UniRio, a Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, já deve ter visto essa lanchonete que funciona na base da confiança. Isso mesmo! Olha que barato: os alunos decidiram confiar uns nos outros e transformaram um pequeno muro lá da facul em uma lanchonete ao ar livre - sem vendedor, sem caixa, sem atendente, e sem câmeras de segurança.

 
Funciona assim: a pessoa vai lá, deixa as comidas e uma caixinha – tipo cofrinho – e vai embora. O comprador pega o que quer comer e coloca o dinheiro nas caixinhas. No fim do turno o aluno dono das comidas passa e recolhe as vasilhas e seu dinheiro. Simples assim. Honesto desse jeito. Lá a galera encontra pastéis de queijo, brigadeiro normal e de churros, sanduíche natural, mousse de maracujá cremoso e trufa. Uma festa!

Ah, gente... eu achei essa ideia linda e as histórias são de emocionar nós todos, que vivemos nos alimentando todo dia de notícia ruim.


O JN fez uma reportagem sobre o “murinho da honestidade” e olhe só o que contou Gabriel Ferrante, que faz faculdade de Música (meu irmão também fez Música na UniRio e eu “super curti” esse detalhe)! Voltando... Ele disse que ficou bem bolado, no começo:
- “Eu pensei: é furada! Todo mundo deve roubar esse negócio, nunca que isso funcionaria. Aí eu pensei: bom, vou testar. O máximo que vai acontecer é eu perder um brownie ou dois, mas não aconteceu.”

Hoje em dia o Gabriel paga o aluguel com os doces que vende. Você acredita? Pois é verdade, sim!

Acontece de às vezes alguém estar muito a fim de comer, ou com fome mesmo, mas não ter dinheiro pra pagar... E aí? Teve um aluno que pagou um “beijinho”, aquele docinho de coco, com uma declaração de amor. Olha que fofo: “Não tinha trocado. Deixei cinco. Amanhã pago R$1. Beijos te amo”, ele deixou escrito no bilhete que colocou na caixinha de pagamento.

Que essas histórias inspirem a sua semana. Experimente acreditar um pouco na honestidade das pessoas. Seja você mesmo honesto também. Ainda existe gente boa por aí e por aqui.

“Malandro é malandro, mané é mané”, mas, você, “em tudo seja um exemplo para eles, fazendo boas obras. Em seu ensino mostre honestidade e seriedade.” (Tito: 2:7).

Quer mais inspiração pro seu dia? Leia estas pequenas dicas. É só clicar/tocar nos links:



__________________

Referências:

Murinho da honestidade vende comida “na confiança”

Jornal Nacional - Muro de universidade serve para fazer negócio e praticar a honestidade – disponível em: https://youtu.be/VF944AVD9Uw - acessado em 04.06.2017.


2 comentários:

Participe também, comentando!