sábado, 17 de junho de 2017

ATÉ DAQUI A POUCO


ATÉ DAQUI A POUCO
Jackson Valoni – Angra dos Reis/RJ

Acompanhei de uma forma distante o anúncio do falecimento do pai de uma professora lá da faculdade. Não enviei mensagem; não sei como confortar as pessoas. Sempre penso que o tempo pode curar tudo, embora eu tenha dependido da minha esposa pra me ajudar durante os momentos finais de vida da minha avó e da minha tia.

O pai da minha professora, segundo as palavras dela, “não estava doente, não foi vítima de violência”. Num dia como outro qualquer minha professora telefonou para a casa de seus pais. Sua mãe atendeu. Numa conversa simples entre mãe e filha, seu pai, que estava fazendo algo na rua, chegou a casa e perguntou quem estava ao telefone. Ao saber que era sua filha, prontamente demonstrou o desejo de ouvir o som daquela voz do outro lado da linha.

Nesse meio tempo, foi ao banheiro lavar as mãos, sentiu um pouco de dificuldade ao voltar, gritou pela esposa para ajudá-lo; ele a abraçou e viu pela última vez a mulher que o acompanhou durante uma vida inteira.

Pietá de Michelangelo

No momento em que escrevo este texto faz 15 dias que o pai da minha professora faleceu.

Eu preciso saber ser solidário com as pessoas em eventos como o que minha professora viveu; como os que vivi. Durante o sepultamento da minha tia, senti uma alegria muito grande ao ver a quantidade de amigos que foram nos dar carinho. Quanto amor, quanto calor! Como isso traz força pra continuar!

Eu preciso saber agir assim. Fico em silêncio, sem reação. A morte é um evento curioso, pra mim. Por duas vezes experimentei essa dor na minha família de uma maneira muito impactante...

Ultimamente eu tenho criado o hábito de me despedir dizendo “até daqui a pouco”.  Não é novidade que eu sou cristão, acredito em Deus e na Bíblia, e foi por isso que comecei a me despedir assim.

Aprendi na Bíblia que um dia iremos ressuscitar; no dia em que Jesus vier a este mundo resgatar Seus filhos que já descansaram.


Eu lhes afirmo que está chegando a hora, e já chegou, em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus, e aqueles que a ouvirem, viverão. (...) Não fiquem admirados com isto, pois está chegando a hora em que todos os que estiverem nos túmulos ouvirão a sua voz e sairão; os que fizeram o bem ressuscitarão para a vida, e os que fizeram o mal ressuscitarão para serem condenados” João 5:25, 28, 29


“Porque o Filho do homem virá na glória de seu Pai, com os seus anjos; e então dará a cada um segundo as suas obras.” Mateus 16:27

“Até daqui a pouco” é como eu me consolo, porque é a maneira singela que encontrei para apresentar essa verdade tão bonita que Jesus ensina. Ainda que o corpo esteja inerte, sem vida neste momento, nossos queridos serão restaurados e transformados.

Daqui a pouco, quando Jesus vier – e Ele não mente em Suas promessas – verei novamente aqueles que me deixaram saudade. Nosso novo lar será o Céu.

“Não se perturbe o coração de vocês. Creiam em Deus; creiam também em mim. Na casa de meu Pai há muitos aposentos; se não fosse assim, eu lhes teria dito. Vou preparar-lhes lugar. E se eu for e lhes preparar lugar, voltarei e os levarei para mim, para que vocês estejam onde eu estiver. Vocês conhecem o caminho para onde vou." João 14:1-4

Assim as palavras de Jesus ficam mais aconchegantes:Eu sou a ressurreição e a vida. Aquele que crê em mim, ainda que morra, viverá; e quem vive e crê em mim, não morrerá eternamente. Você crê nisso?” João 11:25, 26



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe também, comentando!