segunda-feira, 27 de junho de 2016

NA CONTRAMÃO


NA CONTRAMÃO
Por Sérgio Mafra

André e Luciana. Um casal na faixa dos trinta anos. Ele, advogado, e ela, arquiteta. Nascidos na capital paulista, resolveram dar uma verdadeira guinada em sua vida. O casal faz parte de um crescente número de pessoas que adota o caminho inverso ao êxodo rural vivido no país nos últimos anos. Eles resolveram deixar a vida na cidade grande por uma nova experiência no interior de Minas Gerais.


Você pode estar se perguntando: o que levaria um casal com um futuro, aparentemente, tão promissor, a parar tudo e adotar um estilo de vida tão rústico e diferente? A explicação, para eles, é bem simples: cansaram da vida por aqui. Cansaram de ter que disputar um lugar ao sol o tempo inteiro, cansaram de ter que trocar de carro continuamente, cansaram da busca desenfreada por itens que evaporam com a mesma velocidade com que são lançados. Cansaram de uma vida cheia de padrões e metas que, no fundo, só levam a novos padrões e metas quase sempre inatingíveis. Para eles, parecia uma corrida infinita onde o final não era nem de longe avistado: quanto mais se tem, mais se quer.

No final de 2014, veio a notícia: a família em breve ficaria completa, com a chegada de Ema; e com essa notícia, a decisão: Ema seria criada em contato com a natureza. Venderam quase tudo o que possuíam e adquiriram uma propriedade, não muito grande, no interior mineiro. Os grandes edifícios com luzes coloridas deram lugar a um céu profundo iluminado pelas estrelas. As ruas tão cheias de carros e ônibus foram substituídas pelo trânsito de animais, frutas e verduras. O casal, hoje, planta muito do que consome e conseguiu começar uma pequena criação de peixes. Colhem hortaliças, morangos e alguns legumes. O dinheiro investido ainda não foi totalmente recuperado. 


A vida no campo não é fácil. Mas segundo Luciana, ao olhar para a pequena Ema aprendendo seus primeiros passos e palavras em meio a esse lugar “mágico” e ver seu marido trabalhando ao seu lado em prol da qualidade de vida de sua família, a conclusão não é outra, senão a de que o esforço está valendo a pena.


Hoje a família está completa para o jantar, ninguém ficou preso num engarrafamento. A refeição do dia? Torta de legumes e doce de banana caseiro, de sobremesa. Andar na contramão pode representar um final muito feliz.

Talvez você, como eu, não possa (ou até não queira), neste momento, vivenciar uma experiência como essa...

...mas a minha proposta é que, durante esta semana, paremos um pouco nossas muitas atividades e dediquemos um tempo para apreciar as obras maravilhosas das mãos do Criador.

Respire fundo e se jogue nessa cachoeira de sensações.

Grande abraço.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe também, comentando!