sábado, 4 de junho de 2016

REFERÊNCIAS

REFERÊNCIAS
Por Jackson Valoni

Estudei em uma escola supertradicional do Rio de Janeiro, durante o Ensino Médio. Um ano antes, quando eu ainda fazia cursinho preparatório no “Soeiro”, em Cascadura, complementava os estudos na casa da minha avó, ouvindo, na sala, o programa "Tarde Legal" da Rádio Globo. Minha avó me fazia companhia, catando arroz e feijão na mesa da sala.

Então, fiz o Ensino Médio no Colégio Pedro II. O ritmo era bem diferente daquele que eu tinha na época do cursinho. Eu tinha que ter média 7, levar caderneta pra confirmar a presença em aula, usar meias e sapatos pretos, e na blusa do uniforme deveria estar o emblema do brasão da escola com a indicação da série que eu estudava. Eu era um herege quanto à nota. O método de estudo que usava na época do cursinho não funcionava mais.

Quando fiz a primeira prova, de Biologia, valendo 5, fiquei com 0,2... Não tinha jeito, eu tava morto. De um ano para o outro, tudo mudou. Tentei até competir com um amigo inteligente pra ver quem tirava maior nota nas provas - queria tentar ficar motivado pra correr atrás do prejuízo - mas adiantou pouco. Tô brincando; não adiantou nada.

De aluno médio, como sempre fui, me tornei medíocre. Só aprendi a estudar de verdade quando a ficha do desespero caiu. Fiquei com medo de decepcionar meus pais porque me lembrava da felicidade deles quando eu consegui ingressar numa escola tão boa como aquela que eu estudava.

Hoje, adulto, casado, terminando a faculdade de Direito numa Universidade Federal e trabalhando numa empresa de referência no setor elétrico brasileiro, ainda tenho meus pais como referência, porque aprendi tudo com eles. Mais ainda: o meu Deus sempre deseja o melhor para os Seus filhos e sei que meus pais foram usados por Deus durante minha criação, como filho, aluno e homem.

"Eu é que sei que pensamentos tenho a vosso respeito, diz o Senhor; pensamentos de paz e não de mal, para vos dar o fim que desejais. Então, me invocareis, passareis a orar a mim, e Eu vos ouvirei." (Jeremias 29:11,12)

Não são as conquistas terrenas que nos tornam completos, mas as referências que escolhemos, porque em momentos de crise, ainda que tenhamos perdido tudo e nossas forças tenham definhado, são nossas referências que nos sustentarão.

Aos meus pais e ao meu Deus, minhas referências.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe também, comentando!