segunda-feira, 20 de junho de 2016

HERANÇA COLONIAL

HERANÇA COLONIAL
Por Sérgio Mafra

Desde que foi oficialmente descoberto em 1500, nosso país passou mais de trezentos anos como colônia de Portugal. Durante esse período, muitos eventos importantes ocorreram e alguns, no mínimo, exóticos também, dos quais podemos extrair algumas lições importantes.

Um dos rituais mais peculiares trazidos pela Corte Portuguesa quando aqui aportou foi o costume do “beija mão”. Era uma cerimônia na qual o rei se colocava em contato direto com os vassalos. Após a devida reverência, o súdito poderia solicitar algo do monarca. Ocorria, praticamente, todas as noites, salvo domingos e feriados, e poderia durar muitas horas.

Quando aprendi sobre o ritual do “beija mão” achei, num primeiro momento, engraçado e esdrúxulo, pela situação, no mínimo, inusitada, de uma monarca ter prazer em passar horas sentado, todas as noites, enquanto seus súditos são obrigados a ir até ele beijar sua mão, prestar reverência e, eventualmente, suplicar alguma coisa.



Fiquei pensando em Deus ouvindo milhões de orações todas as noites. Quantas súplicas e quantos pedidos! Deus tem prazer em nos ouvir e atender; Ele quer fazer o melhor em nossa vida. E você sabe qual é a melhor parte? Nós, súditos, não somos obrigados a nada. Ele nos ama e quer nossa fidelidade e confiança por amor. Não somos obrigados a ficar de joelhos e orar todos os dias, não somos obrigados a prestar reverência, se assim não quisermos. Deus é Deus, Senhor supremo. Ele comanda todas as coisas, mas ama você e me ama o suficiente pra permitir que tenhamos liberdade de escolha. Lembre-se que o sol nasce para todos, podendo você escolher amá-lo ou não.



Que possamos fazer a melhor escolha, a escolha do amor, nunca esquecendo que Deu tem o melhor para nossa vida.

Uma boa semana de excelentes escolhas!


Um comentário:

Participe também, comentando!