terça-feira, 21 de junho de 2016

E SE ELA NÃO RESPONDER?


E SE ELA NÃO RESPONDER?
Por Airton Sousa

O dia todo eu pensei no assunto: E se naquele dia, quando o nome dela for chamado, ela não responder?

Eu já havia terminado meus dois últimos textos para o blog, eu já havia escolhido e enviado por e-mail as imagens que ilustram nossa página no Facebook e a indagação continuava na minha mente: E se ela não responder? 

Hoje foi um dia de tristeza pra mim. Chorei cada vez que me lembrei dela. Choro agora, quando já deveria estar dormindo.

O que será feito daquele sorriso, daqui pra frente? E se ela não responder?


James Black era professor da Escola Dominical e presidente da juventude numa igreja no Canadá, quando ele ainda era muito jovem. Numa determinada oportunidade, durante um culto de consagração, quando cada membro respondia a chamada com um versículo bíblico, uma garota deixou de responder. Mais de duas vezes a chamada foi repetida, porém, não houve resposta.

Este episódio foi tão marcante na vida do professor Black que ele não podia parar de pensar. Conhecia muito bem a garota, sua origem humilde, ele mesmo havia convidado a moça, para que frequentasse a igreja, pois sabia que seu pai gostava de gastar seu dinheiro com bebidas.

Quando voltou para casa o professor pensou como seria muito triste se nossos nomes fossem lidos no Livro da Vida do Cordeiro, lá no céu, e não estivéssemos presentes. Ficou muito intrigado, pois não havia qualquer cântico que pudesse expressar uma situação como aquela.

Quando chegou em casa, sua esposa percebeu que estava muito tenso e perguntou qual era o problema, porém ele não respondeu. Foi quando ouviu nitidamente dentro de si a frase: por que não faz você mesmo? Em razão disto começou a escrever:

‘Quando Cristo sua trombeta lá do céu mandar tocar,
Quando o dia mui glorioso em luz romper,
E aos remidos, triunfantes, meu Jesus se apresentar,
E chamado então eu for, sim, lá estarei.
Quando for então chamado,
Quando for então chamado,
Quando for então chamado
Aprovado hei de estar perante o Rei’
(Trecho do hino 434 do Hinário Adventista)

Depois de escrever a letra, em menos de 15 minutos nasceu a melodia. Foi para o piano e tocou a música, exatamente como a conhecemos hoje em dia, nota por nota. Nunca foi alterada.”

Não espere ler algo parecido em outro texto; isto aqui é só “lavação de alma” numa madrugada de sábado. E foi escrito e cantado para você que saiu por aí, naquela tarde de sábado, logo depois do pôr do sol... por aí. 

Acabo de ouvir que o céu é tão certo quanto o ar que respiramos, e eu quero estar lá, e eu quero que você esteja lá.

Se você quiser, eu e você, por Sua imensa graça, estaremos lá!

______________________

Referência:
http://hinosavulsosccb.blogspot.com.br/2010/03/james-black-era-professor-da-escola.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe também, comentando!