segunda-feira, 7 de setembro de 2015

DOIS

DOIS
(Por Jackson Valoni)

O peito queimava com a vontade de revê-la. Era saudade, remorso, tristeza, vergonha. Estava tudo misturado. O que ele mais queria era ouvir a voz dela. Parecia que a sensação era pior do que a morte de alguém próximo. Parecia que ele havia sido esmurrado, o corpo todo sentia a falta que ela fazia. Ela era a garota mais bonita que ele já havia conhecido, era sua namorada e amiga. Ligavam um para o outro todos os dias. Trocavam mensagens de texto, curtiam a foto um do outro. Diziam que se amavam, embora nada fosse perfeito.

Ele colocava o rosto contra o travesseiro e gritava pelo nome dela. Ele estava perdido, chorando, sem ar, sem sono, só pensava nela, e no sorriso dela, e no carinho dela, e no cuidado dela e se perguntava se ela também pensava nele. O telefone chamava, mas ninguém atendia e, na expectativa de que ela fosse atender, ligava pela centésima primeira vez.

Até que ela atende sem paciência, fala sem o carinho usual, mas é o suficiente pra fazer brotar alguma esperança. Eles se falam por dois minutos, ele implora por ela, diz que vai mudar, que ela é tudo pra ele, e todas aquelas coisas que precisavam ser ditas (e cumpridas) há muito mais tempo.

Eles reatam a relação, fazem juras de amor, prometem nunca mais brigar e seguem sua vida, tentando disfarçar as cicatrizes do stress, até que voltem a brigar na semana seguinte.


Alguém se identifica?
Quem nunca terminou um relacionamento? Aí lhe deram 50 receitas pra esquecer a pessoa, mas nada adiantava porque tudo a trazia de volta e você já não tinha mais pra onde correr...

Como é desgastante passar por isso, não é? Imagine passar por isso diariamente! Você acorda bem com a pessoa e no meio do dia termina com ela; então a pessoa fica o tempo todo lhe chamando de volta, mas você ignora e já até a trocou por outra.

Assim é com Jesus. Ele, praticamente, mendiga pelo nosso amor, pela nossa atenção e respeito. Frequentemente somos infiéis, adulteramos a soberania dEle em nossas vidas sem o menor pudor. (Oséias 1:2)

Jesus conhece nossas manias, nossos defeitos, vícios, medos, e mesmo assim não desiste de nós. É como alguém que está há poucos dias sem ver a pessoa amada depois de romper o relacionamento com ela. A diferença é que, nessa relação, uma das partes é perfeita: Jesus.

Aproveito a oportunidade pra dizer a minha futura esposa o quanto eu a amo. E me lembrei de uma musiquinha que meu pai cantava quando eu era pequeno.  Vou pôr o nome da minha noiva pra adaptar a canção:

“Quem está batendo na portinha do meu coração?
Pamela, abre a janela, querida
A noite está tão linda
E a serenata é pra você.”

Lembre-se que Jesus é educado, que só entrará no nosso coração se nós deixarmos. Ele quer habitar conosco e nos ensinar a ser pessoas melhores (Apocalipse 3:20).

Que o poder de Deus mantenha o seu relacionamento e, acaso você ainda não tenha encontrado o seu grande amor, espero também que Ele lhe apresente alguém especial. Alguns anos atrás ouvi a seguinte frase: “Um casamento se sustenta quando o casal vive para o seu cônjuge.”.

Eu não sou casado, falta pouco, mas trago esse conselho na minha mente com frequência. É difícil... mas vale todo o sacrifício pra ver a pessoa que amamos sorrindo. (João 3:16)

“Como dizem as Escrituras Sagradas: ‘É por isso que o homem deixa o seu pai e a sua mãe para se unir com a sua esposa, e os dois se tornam uma só pessoa’. Há uma verdade imensa revelada nessa passagem das Escrituras e eu entendo que ela está falando a respeito de Cristo e da Igreja. Mas também está falando a respeito de vocês: cada marido deve amar a sua esposa como ama a si mesmo, e cada esposa deve respeitar o seu marido”. (Efésios 5:31-33)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe também, comentando!