terça-feira, 28 de março de 2017

DIAS DE LUTA, DIAS DE GLÓRIA


DIAS DE LUTA, DIAS DE GLÓRIA
Airton Sousa - Direto de Florianópolis Paciência/RJ

Hoje é um dia especial e você já vai entender o porquê. “Segura as pontas”, aí, pois preciso fazer uma introdução caprichada antes de falar o que interessa mesmo.

Eu quero falar de vitória. E toda vez que penso em escrever sobre dias de glória ou de vitória, me vêm à memória as lembranças de Ayrton Senna. Herói, campeão brasileiro de F1. O maior ídolo de todos os tempos. Incomparável, Ayrton encantou nossas manhãs de domingo e o Galvão narrava assim:

- Lá vem Ayrton, trazendo na ponta dos dedos, para vencer mais uma... Vem Ayrton, vem Ayrton, Ayrrrrrrrrrrrrrrton Senna do Brasil...
(tan tan tan, tan, tan...)

E o domingo estava pronto para ser festivo durante todo o dia.



Todos nós também temos nossos dias de glória. Você mesmo teve seu dia de glória quando aquela pessoa que você amava lhe disse “sim”. Quando seu bebê nasceu. Quando você casou... Momentos de felicidade, momentos de vitória.

Eu gosto muito da letra da música do Charlie Brow Junior:

A vida me ensinou a nunca desistir, nem ganhar, nem perder, mas procurar evoluir. Podem me tirar tudo que tenho, só não podem me tirar as coisas boas que eu já fiz para quem eu amo.

E eu sou feliz e canto e o universo é uma canção e eu vou que vou. História, nossas histórias. Dias de luta, dias de glória...

Meu dia de glória foi o dia 28 de março de 2016, e hoje estou comemorando um ano... sem cigarro!

Na época, escrevi uma série de posts - “Como deixei de fumar em quatro dias”:

Quando acordei naquela manhã estava chovendo muito, e como eu tinha decidido parar de comprar cigarros, fiquei com preguiça de ir na chuva até a casa da minha irmã para pedir um cigarrinho. Escovei os dentes, fiz o gargarejo. Não fumei a manhã inteira. Foi tenso. Eu precisava de um cigarro de qualquer jeito, mas eu podia evitar, eu tinha que evitar. A mensagem veio à minha mente: “Decidi parar de fumar”... “decidi parar de fumar”... Decidi, então, ficar em jejum para limpar o organismo e tentar manter a calma.



Lembrei-me da dica da doutora Michele: “Não se irrite. Evite atropelos. Fuja do café, do cigarro e mantenha-se firme. Hoje é dia de vitória. Vá em frente. ”.

Hoje, passado um ano, já consigo correr 3 quilômetros todas as manhãs. Tenho mais disposição durante o dia inteiro. Nunca mais precisei fumar pontinhas nem guimbas do cinzeiro porque não tinha mais moedas para inteirar para comprar cigarro. Não preciso mais fumar quando eu acordo. Não sinto vontade de dois cigarros depois das refeições. Durmo muito melhor. Minhas horas de sono são dobradas.

Foi numa dessas manhãs de domingo, enquanto caminhava com minha irmã Lucia pela ciclovia de Paciência, que ela me disse: “Mano, hoje faz 50 dias que parei de fumar.”. Esse foi mais um sinal de que eu fiz a escolha certa e de que agora estava influenciando a minha irmã a fazer o mesmo.

Para se ter uma ideia da tragédia que é o cigarro, em todo o mundo morrem mais pessoas de doenças relacionadas ao tabagismo do que de AIDS, álcool, drogas ilegais, assassinatos, suicídios e acidentes automobilísticos juntos. 

O cigarro é diretamente responsável por:
9 em cada 10 mortes por câncer de pulmão.
3 em cada 10 mortes por qualquer tipo de câncer.
3 em cada 10 mortes por doenças cardiovasculares.
8 em cada 10 casos de DPOC (doença pulmonar obstrutiva crônica), como o enfisema pulmonar ou a bronquite crônica.
1 em cada 2 mortes de fumantes.


Eu consegui. A Lucia está conseguindo. Você também vai conseguir. Comece por decidir parar; depois você vai trabalhando sua decisão, dia a dia, um dia de cada vez. Cada dia, até o último dia.

Hoje é dia de escolhas. Escolha a Vida! E pode mandar tocar o tema da vitória! Hoje sim, hoje sim!!!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe também, comentando!