quarta-feira, 29 de março de 2017

CREPÚSCULO

CREPÚSCULO
João Octávio Barbosa – Bento Ribeiro City - RJ

Isabella Swan (Kristen Stewart) e seu pai, Charlie (Billy Burke), mudaram-se recentemente. No novo colégio ela logo conhece Edward Cullen (Robert Pattinson), um jovem admirado por todas as garotas locais e que mantém uma aura de mistério em torno de si. Eles aos poucos se apaixonam, mas Edward sabe que isso põe a vida de Isabella em risco.*


E nessa trama neo-teen (expressão que acabo de inventar) de 2008, o mundo foi apresentado à versão cinematográfica da série de livros “Crepúsculo”. Romances, vampiros e hormônios da puberdade delicadamente entrelaçados para agradar os adolescentes.

Não vi o filme. Não li o livro. Sim, usei descaradamente a marca registrada apenas para chamar atenção. Porém, antes de você me xingar muito no Twitter, eu queria ensinar pra você uma coisa muito interessante que tem a ver com a palavra “crepúsculo”. Você é do tipo curioso, não é? Se não fosse, não chegaria até aqui. Então “senta que lá vem história”.

“Crepúsculo” é uma palavra usada para descrever a fraca luz natural logo que o Sol está se pondo, ou logo após ele nascer. Ou seja, tem a ver com o nascer e o pôr do Sol. Quantas vezes você já teve a oportunidade de parar e observar esses momentos que acontecem todos os dias?


E olha que coisa: você sabia que, biblicamente, a hora do pôr do sol é o momento de alteração do dia? É claro que hoje nós trabalhamos com o horário do relógio: amanhã, a quinta-feira, começa no exato momento em que chegarmos à meia-noite de hoje. Mas na época dos escritos da Bíblia não havia relógio, e observar o Sol era muito mais simples e eficiente. E isso vem desde o relato da criação. Veja:

E Deus chamou à luz Dia; e às trevas chamou Noite. E foi a tarde e a manhã, o dia primeiro.
Gênesis 1:5

Repare na ordem: primeiro vem a “tarde” (na verdade, significa noite – período do dia sem Sol) e depois o dia (período do dia com Sol). Ou seja, na forma como se vivia nos tempos bíblicos, a primeira parte do dia (período de 24 horas) era a noite! A segunda era a manhã. Começava quando ficava escuro, no pôr do sol, e durava até o próximo pôr-do-sol.

Se você é amigo de algum adventista do sétimo dia, de algum batista do sétimo dia ou de algum judeu, deve saber que ele “guarda o Sábado” (leia Êxodo 20:8-11). O que você talvez não saiba é que esse período de 24 horas que ele dedica a Deus, conforme ordem Divina, não começa na meia-noite de sexta e dura até a meia-noite de sábado (para domingo). E, sim, vai de pôr do sol a pôr do sol, do de sexta ao de sábado.


Bom, é isso. Não tem spoiler final, hoje. Ratifico que não sei nada sobre a saga Crepúsculo. Mas, se você é fã do filme, não ia descobrir nada novo aqui, e se não viu, ainda pode ver sem que eu tenha estragado nada. Vamos ao que é mais importante: em ambos os casos você aprendeu mais sobre Deus, a Bíblia, e o Sábado, o dia especial de Deus.

Se a curiosidade clamar por mais, deixe um comentário aqui embaixo que a gente responde.

Não peço que concordem, espero que reflitam!

____________________

Referência:

* http://www.adorocinema.com/filmes/filme-131377/ - acessado em 03/03/2017.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe também, comentando!