quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

OS BONZINHOS


EM FEVEREIRO A GENTE VOLTA COM TEXTOS INÉDITOS E OUTRAS NOVIDADES!!
Até lá, continue com a gente,
refletindo sobre coisas que podem mudar o rumo da sua vida em 2017.

OS BONZINHOS
Por João Octávio Barbosa

Quando se fala em Monarquia, lembra-se da Inglaterra. O príncipe William e sua esposa, recentemente, tiveram dois filhos. Quão chocante para o mundo seria descobrir que o príncipe tem uma amante? Pior, que ela está grávida?! Pior, ela é casada?! Pior!, o marido dela é o próprio James Bond?! E então, o príncipe William manda o Primeiro Ministro matar o Bond, James Bond, para não pegar mal para todo mundo! Irreal? Pior que já aconteceu bem parecido.

Do que vale ser “bonzinho”? Havia uma comunidade no Orkut que falava o que acontecia com toda pessoa que tentava ser “boazinha” (impossível aqui transcrever, mas não era bom...). Talvez você tenha ouvido isso muito na sua vida. Pior, talvez você tenha comprovado isso na sua experiência e na vida das pessoas ao redor: “Ser (ou tentar ser) legal, honesto, educado, bonzinho ainda vai (ou só vai) te prejudicar.”.

Eu quero deixar bem claro uma assustadora realidade na história de hoje. Nessa odisseia de crimes, só morrem duas pessoas: o marido traído e o bebê inocente. O casal adúltero, o comandante militar conivente com o assassinato, os colegas soldados omissos, ou seja, todo o restante do pessoal da história, que tinha mais ou menos culpa no cartório, ficou bem. Final feliz para todos esses. Cruel, não?

Hoje vamos conhecer o otário do... quer dizer, o bonzinho do Urias (maldito corretor ortográfico e seus atos falhos...). Se possível, leia II Samuel 11 na sua Bíblia ou na internet.

O legado de Urias na Bíblia é ser conhecido como um homem que morreu em sua inocência, em sua boa índole. Era cananeu, mas adotou Israel como seu país. Alcançou honrarias militares, pois era um dos 37 principais guerreiros do Rei Davi (II Samuel 23:39). Devido ao tamanho da sua patente no Exército, tudo indica que ele já conhecia Davi, pessoalmente, antes dos eventos relatados a seguir.

Resumidamente, Urias era um militar casado com Bate-Seba. Certa noite, ele estava na guerra, ela estava no banho, e o rei Davi estava de bob. Essa combinação maliciosa foi desaguar na gravidez de Bate-Seba por parte do rei. Como Urias estava fora há muito tempo, ele não teria como ser o pai da criança, e Davi tinha que dar um jeito para justificar a gravidez de sua amante.

Davi tratou de chamar Urias para casa. Fez-se de amigo, e proporcionou-lhe uma licença-prêmio dos serviços de guerra. Ele queria que Urias deitasse com sua mulher, e nove meses depois o bebê seria dele. Mas Urias era um homem íntegro, que não se via no direito de receber essa recompensa sem motivo, enquanto seus companheiros sofriam privações no campo de batalha. Até mesmo após Davi embebedá-lo, se recusou a gozar desses benefícios.

O plano A de Davi falhou. O B é um pouco mais cruel. Urias é novamente enganado e, inocentemente, carrega sua própria certidão de óbito para o Comandante, aquele homem no qual ele pensou, solidariamente, quando se recusou a ir para casa. Agora, esse homem e os companheiros de Urias armam o esquema proposto pelo rei para matá-lo. E a vida de Urias acaba, traído pela esposa, pelo rei, pelo Comandante, e pelos seus amigos.

Que belo estímulo para se tornar “bonzinho”, não? Será que o Orkut estava certo? Dependendo do ponto de vista, sim. Eis aqui o mundo onde vivemos, regido pelo seu príncipe, Satanás (João 16:11). Aqui, o honesto pode ser o pobre, e o corrupto, rico. O cara legal pode ser o zoado, e o superficial adorado. O gentil, preterido, e o “reclamão”, privilegiado. O traído, morto, e o traidor, enaltecido. Mas, em primeiro lugar, isso não acontece sempre, nem mesmo aqui na Terra em pecado. Os bonzinhos perdem batalhas, mas muitas vezes vencem guerras. E no meio de tanto mal ao redor ainda existe muito bem no qual podemos nos escorar, espelhar e regozijar. Além disso, aquilo que de nenhuma forma é menos importante: a aprovação de Deus. Ainda que o bonzinho Urias tenha sofrido as agruras de sua vida correta, e até seus imitadores passem o mesmo, há um Deus que observa tudo isso. Uma coisa que poucas pessoas percebem é que Urias teve uma honraria de Deus, na Bíblia, que é quase bizarra. Ele aparece na genealogia de Jesus em Mateus 1. O mais estranho, é que, de fato, Urias não pertence a essa lista. Ele era, basicamente, o “ex-marido da viúva que mais tarde seria mãe de um filho de Davi”(!).

Ser bonzinho não é para qualquer um. Porque, muitas vezes, isso vai significar perder aqui para ganhar lá na frente. Sofrer aqui, para viver o compromisso de ser correto. Não ter agora, para talvez nunca ter nesta vida. Mas ser bonzinho é estar mais perto de Deus. Ser bonzinho é um privilégio divino. Ser bonzinho é só para quem pode!

Não peço que concordem, espero que reflitam!

Desafio do JOBS: Quem matou o Rei Saul?
Resposta semana que vem.
Resposta da semana passada: Urias. (II Samuel 11:15)

_____________________________

Estaremos de volta com novidades e textos inéditos a partir do dia 1º de fevereiro/2017, quando começaremos o Ano III da história do "Então Serve". Enquanto isso, aproveite o mês de janeiro para (re)ler alguns posts de 2016. Não esqueça de curtir nossa fanpage no Facebook -www.facebook.com/entaoserve. Siga o blog no Google+ -google.com/+EntaoServe

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe também, comentando!