terça-feira, 10 de janeiro de 2017

FIM DE TARDE NO PORTÃO


EM FEVEREIRO A GENTE VOLTA COM TEXTOS INÉDITOS E OUTRAS NOVIDADES!!
Até lá, continue com a gente,
refletindo sobre coisas que podem mudar o rumo da sua vida em 2017.

FIM DE TARDE NO PORTÃO 
Por Airton Sousa

Ele olhou para um lado... porcos. Para o outro lado... mais porcos. Lembrou-se de um ditado que seu pai sempre dizia: “Quem anda com porcos, farelo come.”. E então percebeu tudo... Ele estava comendo comida de porco.

Ele foi tomado de lembranças do seu pai, mais uma vez. Aliás, naquele dia ele se lembrou muito do seu pai. Lembrou-se de como eram as coisas e a vida na casa do pai: “Eu preciso voltar para casa do meu pai”. E enquanto caminhava de volta, vinha ensaiando um discurso para convencer o pai a aceitá-lo:

- Pai, pequei contra o céu e contra ti. Não sou digno de ser chamado teu filho.


Mesmo já tendo escrito sobre o “filho pródigo”, aquele que volta, eu também gosto de pensar em quem espera. Aquele olhar cansado, olhando ao longe... Gosto muito de uma canção do Stenio Marcius, cantada pelo Trio Lessa - “Fim de tarde no portão” -, e que me inspirou a escrever o texto de hoje.

“Fim de tarde no portão, a cabeça branca ao relento
Teimosia de paixão faz das cinzas renascer alento
Na estrada o seu olhar procurando um vulto conhecido
Espera um dia abraçar quem diziam já estar perdido...”




No finalzinho de setembro deste ano, uma amiga minha, a Claudia, me convidou para assistir seu batismo na igreja. Ela estava voltando pra casa, depois de 27 anos afastada.

Eu me lembro bem do depoimento de uma amiga sua, a Úrsula: “Ela era minha líder, minha guia, minha amiga, minha irmã e a gente se via todo sábado; mas teve um sábado que ela não apareceu, e no outro também e eu nunca mais a vi, e lá se vão 27 anos.”.

E teve também o depoimento de sua mãe: “Eu orei durante vinte e sete anos por este momento.”.


“Fim de tarde se debruça no portão...”.



Todos os dias, todas as tardes, o pai espera no portão. Mas um dia... aconteceu, e “o moço retornou mendigo”. 

Ele voltou!
 
Voltou com suas roupas sujas, seu coração sujo. Cheirando a porco. Cansado. Maltratado pelo pecado. “O pai depressa correu e abraçou o filho tão querido...”.

O garoto coberto de lama. E o pai chora e grita. E o rapaz tenta fazer o discurso e não consegue. Quando começa a falar, o pai o interrompe e o abraça, e o beija mais uma vez.

“Tudo está perdoado. Tudo esquecido! Os dias de fome e de convívio com os porcos estão no passado. Com um toque de mestre Jesus leva a história ao clímax final: uma festa é preparada para celebrar o retorno do filho. Nenhuma palavra de recriminação moralista. Nenhuma exigência de prestação de contas. Nenhuma condição imposta. Nenhum tempo de prova. Nenhum período de disciplina para observação! Nenhuma ‘quarentena’ ou penitência é exigida.” (O incomparável Jesus Cristo, pág. 78 – Editora UNASP).

Como eu disse lá em cima, não é a primeira vez que escrevo sobre esse assunto, e veja o que eu escrevi, na época: ”Voltar pra casa é a certeza de braços abertos esperando pelo retorno. Cama pronta, o sol entrando pelas frestas do quarto. É um lugar vago na mesa, uma luz acesa, alguém esperando no portão e uma comidinha bem gostosa no fogão, como dizia a canção do Lulu Santos.”. (De volta pra casa, fevereiro de 2015 – Então Serve)

Naquela noite a Claudia disse uma frase que ficou na minha cabeça: “Ninguém foi tão longe que não possa voltar!”, e a Claudia teve a chance de voltar e encontrar o pai amoroso no portão, a sua espera. E pôde perceber Sua bondade e Sua infinita graça e sua misericórdia.





“O Deus que recebe os envergonhados, cegos, leprosos, surdos, imundos. Que não nega a culpa, mas perdoa e cura.” (O incomparável Jesus Cristo– ibid., pág. 79).

Algum dia todos têm a chance de voltar e reviver e recomeçar... e como é bom saber que “ninguém foi tão longe que não possa voltar”. Não importa quão longe você foi, o quanto distante você está, ainda dá tempo de voltar e, com certeza, há alguém a sua espera. 


________________________________________

Estaremos de volta com novidades e textos inéditos a partir do dia 1º de fevereiro/2017, quando começaremos o Ano III da história do "Então Serve". Enquanto isso, aproveite o mês de janeiro para (re)ler alguns posts de 2016. Não esqueça de curtir nossa fanpage no Facebook -www.facebook.com/entaoserve. Siga o blog no Google+ -google.com/+EntaoServe

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe também, comentando!